Remords, de Luiz Ruffato: um final de verão brasileiro

CRITIQUE – O romancista narra o retorno melancólico de um homem exausto à sua cidade natal, no interior de Minas Gerais.

São lugares únicos para observar o Brasil, um país enorme e cheio de cheiros, cores, alegrias, tristezas, improvisação, desenvoltura e vida: as rodoviárias. O de São Paulo, o Terminal Rodoviário do Tietê, é o maior da América do Sul. Do Tietê, você pode ir ao samba carioca, rumar para a Amazônia, descer para o sul, admirar as Cataratas do Iguaçu, chegar ao Peru, Bolívia, Argentina ou Uruguai por linhas internacionais.

Chegou por estrada de um município do interior de Minas Gerais, Oséias Moretto, o narrador de Remorso, muitas vezes voltou ao Tietê para matar a sede pela pátria perdida:Quando me mudei para São Paulo, no começo gostava de voltar todos os finais de semana para ficar na rodoviária, tentando adivinhar a trajetória de cada um desses incontáveis ​​rostos desfilando abatidos.. »

Injustiças secretas

Um dia, Oséias pega um ônibus e encontra a terra vermelha e os morros verdes de Minas Gerais após vinte anos de ausência e

Este artigo é apenas para assinantes. Você tem 66% restantes para descobrir.

Assinar: 1 € no primeiro mês

Pode ser cancelado a qualquer momento

Já inscrevi? Conecte-se

READ  Patrick de Paula está ausente por até um mês; Palmeiras vai ao clássico sem volante | Palmeiras

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *