República Democrática do Congo: Governo suspende 12 contratos de extração ilegal de madeira

República Democrática do Congo: Governo suspende 12 contratos de extração ilegal de madeira

#outros países : O governo congolês suspendeu 12 contratos florestais identificados pela Inspetoria Geral das Finanças (IGF) e organizações de proteção florestal como sendo concedidos em violação da moratória em vigor no país desde 2002, disse terça-feira uma fonte oficial.

Em outubro, antes da COP26 em Glasgow, o presidente Felix Tshisekedi disse que “várias queixas de irregularidades” na concessão de concessões florestais foram apreendidas e ordenou a suspensão de qualquer contrato “questionável”.

Seis meses depois, “12 contratos de exploração florestal e concessões de conservação localizadas nas províncias de Tchobu, Mongala, Mai-Ndombe e Equateur foram suspensos, como medida de precaução”, segundo Yves Baziba, ministro congolês do Meio Ambiente.

De acordo com esta decisão ministerial, de 5 de abril, foram celebrados estes contratos entre a República Democrática do Congo, representada por pelo menos quatro ministros que se sucederam no Ministério do Ambiente desde 2014, e empresas de direito congolês, algumas com especialmente o capital estrangeiro. Chinês.

>>> LEIA TAMBÉM: RDC: Tshisekedi quer renegociar contratos de mineração assinados com ex-presidente Kabila

Mas, de acordo com Serge Sabine Ngwato, ativista florestal do Greenpeace África, “suspender apenas 12 das dezenas de concessões florestais alocadas ilegalmente é tão bizarro quanto um dentista remover um dente podre e deixar os outros ruins no lugar”.

“As ações do ministro Pazipa devem ser totalmente transparentes e abrangentes para proteger as florestas tropicais dos criminosos ambientais e acabar com sua impunidade”, disse a organização.

Em várias ocasiões, o Greenpeace e as organizações locais de proteção florestal lembraram as autoridades de sua obrigação de serem transparentes sobre os contratos florestais assinados com terceiros para aproveitar os US$ 500 milhões em financiamento da Iniciativa Florestal da África Central (CAF). .

READ  Milagre econômico da Austrália é ameaçado pela estratégia de Covid zero

>>> LEIA TAMBÉM: RD Congo: Diante de contratos chineses ‘opacos’, funcionário dos EUA apresenta outro ‘modelo’

Por outro lado, a Sra. Baziba constituiu uma comissão “responsável pela revisão de todos os contratos de exploração florestal e concessões de conservação concedidos até agora pela República Democrática do Congo”, sem precisar o período em questão.

Em dezembro de 2021, seis contratos considerados adjudicados ilegalmente foram suspensos.

A República Democrática do Congo abriga a segunda maior floresta tropical do mundo depois do Brasil, e representa um importante reservatório de carbono e biodiversidade de importância global.

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *