Testamos: a arte hoteleira de “Rosewood São Paulo”

Postado em 16 de abril de 2022, 14h

Dentro de um conjunto de prédios preservados, o elegante estabelecimento se instalou no espetacular local da Cidade Matarazzo, uma maternidade do início do século XX.e século, bem no centro da megalópole brasileira.

O “Rabo di Galo”, bar de coquetéis e clube de jazz dentro do hotel.© DR

O conceito. O empresário francês Alexandre Allard lidera este projeto há mais de dez anos. Além de um hotel, o ex-proprietário do “Royal Monceau” deseja em curto prazo criar um centro cultural de alto padrão, galerias de arte e lojas celebrando a criatividade do Brasil. Os 30.000m2 que formam a Cidade Matarazzo são modelados por Jean Nouvel, Philippe Starck e Rudy Ricciotti: o trio francês de arquitetura e design atendeu com sucesso esse extraordinário projeto brasileiro. O primeiro ato não é outro senão a inauguração do hotel “Rosewood”, marca que comprou o “Crillon” em Paris. Um grande projeto, onde a arte está no centro da questão.

Banheiro de uma suíte Matarazzo.

Banheiro de uma suíte Matarazzo.© DR

A decoração. Philippe Starck assina os interiores do hotel, o design dos quartos e suítes que se dividem entre os prédios históricos e a torre futurista imaginada por Jean Nouvel, pensada como uma ode à natureza brasileira. Uma floresta vertical no topo da qual fica o apartamento mais espetacular da cidade.

No topo da torre projetada por Jean Nouvel como uma ode à natureza, o apartamento mais espetacular da cidade.

No topo da torre projetada por Jean Nouvel como uma ode à natureza, o apartamento mais espetacular da cidade.© DR

Iniciou-se um diálogo profícuo entre o estilista e Alexandre Allard para convidar os melhores artistas brasileiros para vestir o local. Entre eles, o artista visual Vik Muniz, que desenhou o vitral de uma rosácea da capela de Santa Luzia ou imaginou, por meio de fotos, a fantasia épica de um imigrante italiano. Na ala antiga, conservam-se janelas com venezianas que se abrem para um bonito pátio e um jardim, vestígios de uma São Paulo agora desaparecida.

Em um corredor, uma obra da artista brasileira Ananda Nahu.

Em um corredor, uma obra da artista brasileira Ananda Nahu.© DR

Gosto. Edouard Grosmangin, o gerente do hotel, vigia todos os dias os restaurantes, que estão cheios desde sua inauguração em janeiro passado. Esse sucesso se deve à talentosa culinária do chef brasileiro Felipe Rodrigues. Seis lugares foram inaugurados dentro do “Rosewood”, misturando influências francesas e brasileiras ou celebrando sabores sul-americanos. Não perca as sobremesas do confeiteiro Saiko Isawa, que reinterpreta com propriedade grandes clássicos, incluindo a pavlova temperada com frutas exóticas. Convém fazer reserva, toda a cidade de São Paulo imediatamente adotou o local!

O saguão do hotel.

O saguão do hotel.© DR

Os quartos : quando o projeto estiver totalmente concluído, serão oferecidos 160 quartos. Sessenta estão abertas até o momento.

Quantos : desde 586 euros por noite para duas pessoas com pequeno-almoço.

Cadê : rua Itapeva 435, Bela Vista, São Paulo, Brasil. www.rosewoodhotels.com/saopaulo

READ  Brasil | Lula vai reconquistar o centro para as eleições presidenciais

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *