Três dias de luto nacional pela morte do ex-presidente argentino Carlos Menem

Três dias de luto nacional pela morte do ex-presidente argentino Carlos Menem

O ex-presidente Carlos Menem (1989-1999), que governou a Argentina por uma década seguindo uma linha política neoliberal, morreu no domingo em uma clínica em Buenos Aires aos 90 anos.

O presidente argentino Alberto Fernandez, do movimento peronista, disse no Twitter: “Soube com profunda tristeza a morte de Carlos Saul Menem”.

“Durante o período ditatorial (1976-1983), ele foi perseguido e preso”, disse Fernandes.

Três dias de luto nacional foram declarados. Carlos Menem será sepultado na segunda-feira no Cemitério Islâmico de Buenos Aires, onde está enterrado seu filho Carlos, falecido em 1995 em um acidente de helicóptero que nunca foi esclarecido.

“Ele vai descansar no cemitério islâmico com meu irmão, embora ele seja de religião católica, para ficar com meu irmão”, disse a filha de Carlos Menem, Zolimita, ao sair do hospital.

O despertar começou na noite de domingo no Congresso, com a vice-presidente argentina Cristina Kirchner, que também é presidente do Senado, dando as boas-vindas à família assim que chegou o caixão envolto na bandeira argentina.

O presidente Fernandez e sua esposa, Fabiola Yanez, chegaram uma hora depois e ofereceram suas condolências à família.

O presidente chileno, Sebastian Pinera, prestou homenagem a Carlos Menem, “que o celebrou na década de 1990 na Argentina e era um bom amigo do Chile”. Ele escreveu no Twitter: “Minha solidariedade com sua família e com o povo argentino, e Deus acolhe sua alma”.

O governo brasileiro também homenageou os mortos em nota.

– “Transformação” –

Senador desde 2005, Carlos Menem foi hospitalizado várias vezes nos últimos meses devido a vários problemas de saúde. Em 29 de dezembro, ele não pôde participar da votação do Senado sobre a lei do aborto devido à sua hospitalização.

READ  Neymar, Barcelona não vá

Natural da província de La Rioja (noroeste), Carlos Menem, filho de imigrantes sírios, governou a Argentina por dez anos, de 1989 a 1999, seguindo uma política neoliberal.

Nesse período, ele estabeleceu a “conversibilidade”, fixando a taxa de câmbio peso-dólar em um para um. A moeda nacional sofreu uma forte desvalorização da moeda durante a crise econômica histórica que se seguiu.

Carlos Menem teve três filhos de dois casamentos seguidos de dois divórcios, o primeiro de Zolima Yuma e o segundo com a ex-Miss Universo chilena Cecilia Boloku.

Ele foi alvo de investigações judiciais em vários casos de corrupção, mas nunca foi condenado.

Ele foi colocado em prisão domiciliar em 2001 no caso de contrabando de armas para a Croácia e o Equador, depois foi libertado algumas semanas depois por decisão da Suprema Corte de Justiça e foi finalmente libertado devido ao tempo excessivo. Ações após um quarto de hora por século de acusação.

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *