Turquia: prisão perpétua para cúmplices do assassinato de 12 alemães

Istambul | A mídia turca informou que um tribunal turco, hoje, terça-feira, emitiu penas de prisão perpétua a quatro cúmplices de um homem-bomba no qual 12 turistas alemães foram mortos em Istambul em janeiro de 2016.

Um tribunal de Istambul considerou os quatro homens culpados de várias acusações, incluindo tentativa de derrubar a ordem constitucional e auxílio e cumplicidade em assassinato.

Um primeiro tribunal já havia condenado três supostos cúmplices em 2018, mas o tribunal de apelações anulou a decisão, argumentando que as famílias das vítimas na Alemanha e na Noruega deveriam ter sido informadas sobre o julgamento e considerou certas decisões insuficientes.

Em 12 de janeiro de 2016, um homem-bomba se explodiu no centro histórico da cidade, no bairro de Sultanahmet, entre um grupo de turistas alemães, a centenas de metros da Hagia Sophia e da Mesquita Azul, duas das mais visitadas marcos em Istambul, matando 12 deles.

As autoridades turcas alegaram que o homem-bomba era um sírio de 28 anos e pertencia ao Estado Islâmico (ISIS), mas este último não assumiu oficialmente a responsabilidade pelo ataque.

Dezoito outros suspeitos que estavam em julgamento foram absolvidos no julgamento.

O ataque do sultão Ahmed foi o primeiro de uma maré negra em 2016 para a Turquia, e também foi abalado no mesmo ano por um golpe fracassado.

READ  Ataque ao Capitólio: Polícia processa Trump

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *