Um misterioso filme filmado na Amazônia foi encontrado desaparecido após quase 100 anos

Um misterioso filme filmado na Amazônia foi encontrado desaparecido após quase 100 anos

É um dos primeiros filmes a ser filmado Amazonasem 1918. Um filme lendário que desapareceu por quase um século e depois reapareceu por acaso.

Segundo Savio Stocco, especialista nas obras de Silvino Santos,É sem dúvida um dos primeiros grandes filmes sobre esta região. É significativo tanto em termos de ambição como também em termos de duração“. Amazonas, o maior rio do mundo – esse é o título – um testemunho único de pouco mais de uma hora que mostra como era a vida na floresta há um século atrás.

Atrás da câmara está Silvino Santos, um jovem fotógrafo e realizador português com cerca de trinta anos, que vive em Brasil. Santos, em particular, produziu reportagens fotográficas encomendadas por empresas mineradoras de borracha.

O filme apresenta uma certa ambição etnográfica: mostra os rituais tradicionais das tribos indígenas Huitoto e os desenhos pré-colombianos gravados nas rochas. Mas também demonstra o enorme potencial de exploração dos recursos florestais e os benefícios económicos inesperados que representam: exportação de madeira, comércio de peles de animais, venda de aves raras, caça ao peixe-boi e, especialmente, o comércio da borracha da seringueira.

Com uma voz nua

28 minutos

A verdadeira “febre da borracha”.

A região amazônica foi atingida nesta época por uma verdadeira febre da borracha. As empresas empregam à força índios Huitoto para colher látex em condições terríveis. Isto levou a um colapso no seu número, uma vez que o seu número diminuiu para alguns milhares na década de 1920.

READ  Onde encontrar lojas francesas em São Paulo?

Toda uma história que Silvino Santos prefere não mostrar em seu documentário, para não prejudicar os interesses das empresas do local.

Essa história estava bem documentada na época, lembra Savio Stocco. “Na mídia do Brasil e do exterior. A forma como Silvino Santos retrata esses indígenas é 'pacífica' e evita esse aspecto. Ele os retrata preparando uma grande festa, como se o conflito não existisse.”

Silvino Santos passou três anos no coração da selva, nesta região entre o Peru e o Brasil. Após as filmagens, entregou o filme ao seu assistente, Propercio de Mello Saraiva, que o levou à Europa para exibi-lo. Mas no caminho seu parceiro o trai e assume o controle do filme.

Savio Stocco explica que enquanto viveu na Europa, “Ele se passou pelo cineasta e comercializou o filme ilegalmente. Temos vestígios na imprensa inglesa e francesa de que ele foi cúmplice e diretor deste filme. A Gaumont começou então a distribuir este filme.”

Ótima mesa de verão

1 hora 14

Perdido por quase um século

O filme desapareceu na década de 1930 após alguns anos de exploração, para grande pesar do seu verdadeiro diretor, que morreu em 1970 sem nunca mais vê-lo. O longa-metragem foi finalmente encontrado por acaso em 2023 no Arquivo Nacional de Praga. Na verdade, foi incorretamente referido e identificado erroneamente como um documentário americano da década de 1930.

Este filme de grande valor histórico mostra também a abundante biodiversidade, que diminuiu ao longo de um século.

READ  "Awara Paagal Deewana" está na Netflix? Onde assistir o filme

Savio Stocco lembra que o estado do Pará escolheu uma lei inovadora “O objetivo é proteger duas espécies de aves, que foi implementado entre o final do século XIX e o início do século XX. Mas isso é muito específico e diz respeito às garças e aos guarás (íbis). Todos os outros animais não ficaram desprotegidos. Brasil , a primeira lei de proteção ambiental foi aprovada em 1967, muito depois do filme.”

Revista Ideias

5 minutos

You May Also Like

About the Author: Echo Tenny

"Evangelista zumbi. Pensador. Criador ávido. Fanático pela internet premiado. Fanático incurável pela web."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *