Vacina Oxford começa a ser entregue ao ministério em fevereiro, afirma presidente da Fiocruz | Coronavírus

Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) começará a distribuir a vacina Oxford para o Ministério da Saúde a partir de 8 de fevereiro, afirmou a presidente do instituto, Nísia Trindade, durante audiência sobre o combate à Covid-19 realizada pela Comissão Externa da Câmara dos Deputados.

A vacina Oxford é desenvolvida pela empresa farmacêutica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. No contrato assinado pelo governo federal, O Brasil receberá na fábrica de vacinas da Fiocruz em Bio-Manguinhos o chamado “insumo farmacêutico ativo” (IFA) para processamento e envase de doses.

Projeção da Fiocruz derruba pelo menos parte do cronograma anunciado pelo ministro Eduardo pazuello no dia 17. ministro espera entrega de 24,7 milhões de doses em janeiro, 15 milhões deles da vacina Oxford (revisão no vídeo abaixo)

VÍDEO: Brasil deve ter 31 milhões de doses de vacinas contra a Covid em março, diz Pazuello

Fiocruz atualizou previsão

Segundo Nísia Trindade, será entregue 1 milhão de doses entre 8 e 12 de fevereiro o Programa Nacional de Imunização (PNI) e 1 milhão a mais na semana seguinte.

A partir da terceira semana, a meta do instituto é produzir 700 mil doses diárias da vacina que se chamará Covid / Fiocruz.

“A grande angústia da nossa sociedade é em relação ao início da vacinação. Então, direi apenas a todos que, no caso da Fiocruz, estaremos recebendo insumos farmacêuticos ativos para o início da produção em janeiro” – Nísia Trindade, presidente da fiocruz

Procure por doses prontas

Durante a sessão, Nísia foi questionada pelo deputado Luiz Antônio Teixeira Jr. se havia a possibilidade de o Brasil receber doses prontas para uso para agilizar a vacinação.

O presidente da Fiocruz disse que atualmente não há previsão. “Não é simples. A vacina ainda está sendo produzida. São 11 fábricas contratadas ao redor do mundo, mas, por exemplo, nos EUA há uma determinação de que o que é produzido lá para a Covid não pode ser exportado. Mas estamos nisso pesquisar junto. com todos os produtores e teremos uma reunião com o CEO da AstraZeneca Global na próxima semana para ver essas possibilidades ”, disse Nísia.

“O termo concreto com que nos comprometemos é este, porque é para a nossa produção, mas estamos num esforço nacional para aumentar a possibilidade de proteger a nossa população o mais rapidamente possível” – Nísia Trindade, presidente da Fiocruz

AstraZeneca afirma que espera obter aprovação para uso de vacinas no Brasil em janeiro

AstraZeneca afirma que espera obter aprovação para uso de vacinas no Brasil em janeiro

Início de 2021 com vacina

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que compareceu brevemente à audiência, disse que o país “está se fortalecendo para poder ter vacinas de vários tons” e entregar as doses “o mais rápido possível”.

“Estamos nos preparando para iniciar 2021 com a vacina. Se Deus quiser, assim que for registrado pela Anvisa, (…) vamos vacinar nossa população como um todo ”, disse Pazuello.

“Nossa previsão, como sempre, é final de janeiro, na melhor das hipóteses, passando por meados de fevereiro e, na pior, final de fevereiro”, disse Pazuello.

VÍDEOS: veja notícias sobre vacinas contra Covid-19

READ  No Brasil, desmatamento na Amazônia também prejudica a agricultura

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *