A Epic Games recebeu uma oferta de US$ 150 milhões para comprar Fortnite, mas acabou rejeitando, e é por isso que foi uma grande jogada

A Epic Games recebeu uma oferta de US$ 150 milhões para comprar Fortnite, mas acabou rejeitando, e é por isso que foi uma grande jogada

O resto seguirá após este anúncio

Se o entusiasmo em torno de Fortnite diminuiu claramente desde o seu lançamento em 2017, ainda assim continua a ser o jogo Battle Royale mais popular e mais jogado até à data, especialmente desde que o primeiro mapa regressou sem construção. A certa altura, o Google fez tudo o que pôde para que a Epic Games lançasse e monetizasse Fortnite em sua loja, mas nunca funcionou…

Uma oferta do Google difícil de recusar

Pouco antes de seu lançamento móvel, os criadores do Fortnite receberam uma oferta difícil de recusar. Como confirma o processo entre Google e Epic Games, empresa de tecnologia Ofereceu US$ 147 milhões Para proprietários de Battle Royale. Em troca, eles queriam apenas lançar o jogo na app store oficial do Android. Nem é preciso dizer que esse valor não foi suficiente para convencer desenvolvedores e editores daquele que é considerado um dos videogames mais famosos da história. É por isso que as duas empresas estão agora travadas em uma batalha legal.

O Google usou todos os mecanismos à sua disposição para tentar convencer a Epic Games a lançar (e monetizar) Fortnite através da App Store, mas não teve sucesso. Os responsáveis ​​do Android discordaram das decisões da Epic Games de contornar os termos de serviço dos seus dispositivos e tomaram medidas que a empresa interpretou como uma violação das leis de concorrência dos EUA. Nesse sentido, a leitura é clara. Recusar os US$ 150 milhões mencionados poderia mudar para sempre a história dos videogames – e aplicativos – em dispositivos móveis.

Ele rejeitou 150 milhões de euros para mudar a história dos videogames

Se nos limitarmos a considerações puramente financeiras, parece que a Epic Games tomou uma boa decisão. O plano do Google prevê o pagamento de US$ 147 milhões em três anos. Uma quantia que não teria compensado o que os jogadores de Fortnite teriam perdido simplesmente por estarem na loja. Na verdade, a Android Store recebe entre 15 e 30% dos desenvolvedores para cada transação feita através de seus sistemas. Nesse sentido, o processo teria começado a gerar lucros para o Google (e prejuízo para a Epic) uma vez que a BR tivesse arrecadado entre US$ 500 e US$ 1 bilhão nesta plataforma. Para se ter uma ideia, antes de seu primeiro ano no iOS, o jogo gerenciou os mesmos US$ 500 milhões em receita (via Torre de sensores).

READ  Eclipse solar total: não feche escolas em 8 de abril, implora um astrônomo de Quebec

Ninguém esperava que as receitas da versão móvel do Fortnite fossem tão altas, mas os executivos do Android temiam duas coisas. Primeiro, eles estimaram que a ausência do Fortnite na App Store poderia resultar em uma queda de 150 a 250 milhões na receita arrecadada pela loja. Mas acima de tudo, temiam que esta decisão fosse contagiosa. Outras empresas poderiam se inspirar na decisão da Epic Games, levando a perdas crescentes ao longo dos anos. Se esta possibilidade se confirmar, o défice passará de 550 milhões de dólares para 3,6 mil milhões de dólares.

Terminamos o DLC Tales of Arise e é uma grande decepção

Descubra o que achamos da expansão Tales of Arise Beyond the Dawn, disponível desde 10 de novembro para PC, PlayStation e Xbox. Nesta nova incursão no mundo de Dahna, nosso grupo de heróis terá que enfrentar novas ameaças resultantes da fusão dos dois mundos.

You May Also Like

About the Author: Genevieve Goodman

"Criador. Fã de café. Amante da Internet. Organizador. Geek da cultura pop. Fã de TV. Orgulhoso por comer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *