Anvisa deve liberar vacina da Astrazeneca antes do Coronavac

UMA Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deve liberar o uso emergencial da vacina Astrazeneca antes da Coronavac. Ambas fizeram o pedido oficial de registro na sexta-feira (8), mas a farmacêutica inglesa já estava bem à frente das chinesas na apresentação de documentos anteriores.

Mas essa não é a única razão. A Astrazeneca possui pedidos de uso emergencial já homologados em outros países – Inglaterra e Argentina. O Coronavac foi aprovado para uso na China, mas com base em estudos de fase 2, não de fase 3, conforme exigido pela legislação brasileira.

A maneira como Butantan enviado sua solicitação também faz parte da avaliação. O instituto anunciou que apresentará esse pedido na quinta-feira (7), após primeiro encontro com a Anvisa. O instituto marcou nova reunião para as 17h para apresentar o pedido, que foi até anunciado pelas autoridades paulistas, que posteriormente se retiraram.

Leia também:

Equipe da Casa Branca diz que pode haver uma ‘variante dos EUA’ do coronavírus

Fiocruz espera chegar 2 milhões de doses da vacina Oxford até 19/01

SP vai começar a vacinação no dia 25 mesmo com atraso no plano nacional, diz secretário

Uma nova reunião estava marcada para as 10h desta manhã para ser apresentada, mas o instituto preferiu primeiro apresentar o pedido e depois se reunir com as autoridades paulistas.

Outro motivo é a forma como os dados foram apresentados à imprensa. Por exemplo, faltavam dados sobre efeitos colaterais específicos ou subgrupos. Ou como o cálculo de eficiência de 78% foi feito.

Se esses dados, comuns em apresentações em todo o mundo, faltarem, o processo será interrompido.

A análise dos documentos das duas empresas farmacêuticas, apresentados por Fiocruz (Astrazeneca) e Butantan (Coronavac) estão sendo feitos, e uma primeira avaliação de possíveis omissões, por lei, deve ser feita em até 24 horas a partir da solicitação.

READ  Brasil - Série A: Vai pelo Santos, empata pelo Palmeiras

Se isso acontecer com qualquer um deles, o processo de autorização na Anvisa é interrompido até que o problema seja resolvido.

A expectativa é que na próxima semana o país já tenha a primeira vacina com uso emergencial liberada para uso.

O problema é que, se for Astrazeneca, ainda não haverá vacina a ser aplicada, pois, ao contrário do Coronavac, não está em solo brasileiro.

Destaques de negócios da CNN Brasil:

Bitcoin: entenda os motivos que levaram a criptomoeda a registrar valorização

Magalu, Via Varejo, B2W: estrelas da bolsa em 2020 devem se tornar coadjuvantes

O novo centro multimídia da Mercedes ocupa todo o painel e até sugere música

Veja comparação entre preços de promoção do Magazine Luiza e concorrentes

O Itamaraty negociou com a Índia o embarque de 2 milhões de doses, mas a negociação é lenta e sem avanços até agora.

Por outro lado, se o Coronavac já foi lançado, o Butantan já tem mais de 10 milhões de doses para serem aplicadas na população.

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *