Brasil. Em meio à turbulência jurídica, Bolsonaro reúne milhares de apoiadores em São Paulo

Brasil.  Em meio à turbulência jurídica, Bolsonaro reúne milhares de apoiadores em São Paulo

Milhares de pessoas se reuniram no domingo, 25 de fevereiro, em São Paulo, para mostrar seu apoio ao ex-presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, que está sob investigação por suposta tentativa de golpe e cujo passaporte a polícia confiscou há três dias.

Vestido com o verde e amarelo da bandeira brasileira”, que Bolsonaro reivindicou como um símbolo quando estava no poder, lembra o correspondente do BBCa “grande multidão” formada por seus apoiadores lotavam a Avenida Paulista, uma das principais artérias da capital econômica do país.

Falando com eles, o ex-oficial negou novamente as acusações “mentindo”Segundo o qual ele conspirou para permanecer no poder depois de perder as eleições de outubro de 2022. “O que é um golpe? Tanques nas ruas, armas, uma conspiração. Nada disso aconteceu no Brasil”, defendeu-se. Ligando para “apagar o passado” Para “poder viver em paz”, ele também solicitou anistia para várias centenas de seus apoiadores condenados por ataques contra edifícios públicos em 8 de janeiro de 2023.

Bandeiras israelenses no pódio e entre a multidão

O político de 68 anos já havia pedido aos manifestantes que não carregassem faixas”.contra qualquer um” – notadamente contra o Supremo Tribunal ou ministros – sabendo que “monitorado de perto pelas autoridades”, que estão apenas esperando um passo em falso de sua parte, pensam que sabem o BBC. Seus apoiadores optaram, portanto, por camisetas em sua glória ou adornadas com slogans como “Deus, país e família” E “Meu partido é o Brasil”.

Os Tempos de Israel observação que o ex-presidente subiu ao pódio em “agitando a bandeira israelense”, antes de colocar a mão no peito para cantar o hino nacional. Durante o seu mandato, recorda o diário, “Bolsonaro tinha laços estreitos com Benjamin Netanyahu e era considerado um de seus principais aliados internacionais”. Foi portanto, através deste símbolo, opor-se “às observações do Presidente Lula, que na semana passada comparou a ofensiva israelita em Gaza ao Holocausto“, explicar Os Tempos de Israelque também observou muitas bandeiras israelenses, “proeminentemente”, no meio da multidão.

READ  Publicação do livro "Tio Qassem" no Brasil

Se o ex-presidente nunca mencionou o nome do seu sucessor, o pastor evangélico Silas Malafaia, que cofinanciou a manifestação, não se conteve. Criticando “severamente“A declaração de Lula sobre a situação em Gaza, ele dedicou grande parte do seu discurso”incendiário“denunciar”engenharia do mal”implementado pelo atual poder para deter Bolsonaro, relata a mídia brasileira O Globo.

“A rede está apertando”

Quais serão as consequências desta manifestação? Bolsonaro aproveitou o seu discurso para discutir as próximas eleições presidenciais, em 2026, nas quais não tem direito a concorrer, tendo estado privado dos seus direitos civis durante oito anos por ter “prejudicou o sistema eleitoral do Brasil.” “Não podemos aceitar que uma autoridade possa eliminar alguém da cena política”ele explodiu em chamas.

É sobre, de acordo com El Paísde “primeiro grande ato político” de Bolsonaro desde que perdeu por pouco as eleições de 2022. “Mesmo que não possa concorrer nas próximas duas eleições, ele não está jogando a toalha”, analisa o diário espanhol. Depois de meses de silêncio, dedicados a responder às múltiplas acusações que lhe foram dirigidas, “volta ao ringue porque tem medo de ir para a prisão”, aliviando El País. E pretende também se preparar para as eleições municipais que serão realizadas em outubro e que marcarão a metade do mandato de Lula. “Ele continua sendo a figura mais influente da direita brasileira”, aponte BBC.

Bolsonaro, “que às vezes proclamava que preferia morrer a ir para a prisão”, é, no entanto, cada vez mais “encurralado” pelas pesquisas, enquanto o “A armadilha está apertando” em torno de sua família e círculo político. O jornal espanhol menciona oito casos, que “cobrir um pouco de todas as áreas” : divulgação de notícias falsas, má gestão da Covid-19, apropriação indevida de presentes recebidos de países estrangeiros, incluindo joias oferecidas pela Arábia Saudita, etc.

READ  Futebol de areia - Suíça vence feito contra o Brasil na Copa do Mundo

Se Bolsonaro provou, com esta demonstração de força, que“ele tinha muita gente ao seu lado”, parece ao mesmo tempo que está faltando “armas de combate” legal que o espera, julga diariamente a esquerda Folha de São Paulo. O “pitbull desapareceu”, ele brinca, e agora apenas um “animal desdentado […]sacudindo uma gaiola cheia de pombos dóceis”.

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *