Brasil. Estudantes estrangeiros foram finalmente autorizados a trabalhar

Brasil.  Estudantes estrangeiros foram finalmente autorizados a trabalhar

Até agora, os estudantes estrangeiros que desejassem trabalhar enquanto estudavam ou permanecer no Brasil após a formatura tinham que primeiro retornar ao seu país para solicitar um visto oficial de trabalho. A menos que você decida trabalhar na “economia informal”. Resumindo: no escuro.

O decreto emitido pouco antes do Natal deverá pôr fim a esta situação. Ele explica chá Rio Times. A partir de agora, estudantes internacionais matriculados em uma instituição de ensino superior brasileira poderão enviar inscrição ao Ministério do Trabalho.

Autorização de trabalho sujeita a condições

medição “Em conformidade com as boas práticas internacionais” O que, segundo Paulo Sergio de Almeida, presidente do Conselho Nacional de Migrações, deverá permitir a contratação de trabalhadores qualificados para a economia do país.

No entanto, a autorização de trabalho, concedida por um ano e renovável, ainda estará sujeita a condições.

“Até agora, para conseguir visto de trabalho, era preciso assinar contrato com uma empresa. O visto era válido apenas durante a vigência do contrato, diz Ed Horgan, um expatriado britânico que dirige uma escola de língua inglesa no Rio. A eficácia da nova lei dependerá dos critérios de adjudicação.”

O número de vistos de estudante concedidos pelo Brasil dobrou nos últimos oito anos. De acordo com os últimos números disponíveis, existem mais de 100 mil estudantes estrangeiros no país. Os franceses aparecem em terceiro lugar, logo atrás dos colombianos e portugueses, entre as nacionalidades mais representadas.

READ  AHP condena governo por não aceitar certificados de vacinação dos Estados Unidos e Brasil

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *