Brasil quer “baixar a temperatura”

Brasil quer “baixar a temperatura”

Estará o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disposto a recuar no seu conflito com a Guiana por causa de Essequibo, território sobre o qual reivindica controlo? De qualquer forma, é isso que espera o Brasil, que servirá de mediador durante o primeiro encontro entre o líder socialista e seu homólogo guianense Mohamed Irfaan Ali, quinta-feira, 14 de dezembro, em São Vicente e Granadinas.

A reunião é “considerado como um primeiro passo para atenuar uma crise que degenerou em poucos dias”, lembre-se do site G1, do grupo Globo, referindo-se ao referendo organizado em 3 de dezembro por Nicolás Maduro sobre a anexação de Essequibo.

Com mais de cem anos, a disputa territorial sobre esta região de 160.000 km², ou mais de dois terços da Guiana, agravou-se após a descoberta, em 2015, de enormes reservas de petróleo e gás.

“Governo brasileiro busca conter escalada de retórica” confronto entre Nicolás Maduro e “para baixar a temperatura da crise” entre Georgetown e Caracas, relatórios por sua vez O Globo, quais relatórios“Intensos esforços diplomáticos” Para “incentivar a moderação no discurso”.

Segundo o diário, a delegação brasileira, liderada por Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores e hoje principal assessor do presidente de esquerda Luiz Inácio Lula d

READ  Papa reza pelas vítimas das enchentes no Brasil

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *