Christian Oliveira – “O Segredo da Família”

Uma lei homofóbica que acaba de ser aprovada na Hungria nos lembra que os movimentos reacionários continuam a prosperar em todo o mundo contra a educação sexual e os direitos dos homossexuais, especialmente no Brasil, onde o governo de Jair Bolsonaro dobrou os projetos de lei contra a consciência de gênero. segredo de familia Nesse sentido, parece ser um filme útil e não tópico, pois deplora os clichês e estereótipos ainda associados à nossa representação de gênero. Seu significado não pára por aí, pois também fala da invasão sutil da independência das mulheres em uma sociedade patriarcal, a de Joanna, uma jovem de treze anos. Quando sua amada tia morre, ela se pergunta o que a fez permanecer virgem até o fim de sua vida. Ao mesmo tempo, ela gradualmente experimenta seu primeiro sentimento de amor que a une a Carolina, sua melhor amiga, e a outros membros da sociedade que rejeitam esse desejo.

© Epicentro Filmes

Uma sequência que resume o projeto de Cristian Oliveira, diretor: Resistir ao estado de espírito masculino e autoritário que conquista seu país. Enquanto uma balada masculina e misógina saúda a festa dos adultos, os dois jovens namorados, refugiados no exterior, assistem ao espetáculo. Em seguida, o reflexo do rosto de Carolina aparece na janela, cobrindo assim toda a sala onde os velhos dançam, como se uma nova era, mais tolerante e inclusiva, prevalecesse sobre este mundo tradicional. Essa vontade de se opor à dinâmica regressiva também se encontra na escolha da temporalidade desde que a história se passa em 2007, naquelas horas de progresso que foram anos Lula e antes do desastre: a chegada da extrema direita ao poder. Se quer ser otimista, o filme não é ingênuo e busca mostrar como o viés gradativo de um certo número de preconceitos os transforma em padrões que determinam a formação das jovens. Em pequenos toques, a escrita traz à tona as pressões sociais que pesam sobre seus ombros e os conduzem a uma situação já definida. A estrutura é um tanto ilustrativa, mas tem verdadeira virtude social na capacidade de descrever mecanismos sociais que conduzam a um modelo unificado e compatível, desprovido de qualquer singularidade – outro desdém para o executivo brasileiro que declarou que quer retirar o financiamento público para a educação em humanidades. .

READ  Quebec dá US $ 2,5 milhões adicionais aos cinemas

Em seu primeiro longa-metragem, Nalo na fronteira (2016), inédito na França, já fez da adolescência Christian Oliveira seu tema principal. Aqui ela repete esse interesse e fica evidenciado por sua capacidade de copiar a experiência desse período da vida. Os ângulos e inserções se multiplicam nos diferentes elementos do quadro, revelando a natureza fragmentada da visão das duas crianças, que lutam para dar sentido à situação como um todo. Por meio de algumas excursões líricas e foco em detalhes importantes, também fui capaz de descobrir novas sensações que atacam Joanna – amor, erotismo e despertar para a natureza – e que só aumentam sua confusão. Às vezes, um diretor quer fazer muitas coisas e sobrecarregar de significado durante suas cenas de sonho, o que não acrescenta muito a uma escrita que já é dotada de sonho e sensibilidade. No entanto, essas raras armadilhas não alteram a resolução da apresentação e a qualidade da história construída em torno de dois elementos simbólicos de forte poder provocativo: as estátuas e as turbinas eólicas.

© Epicentro Filmes

Esses novos geradores de energia são representados no fundo como um tema intrigante para os dois protagonistas principais; Um horizonte indescritível e imaginário, livre de poderes patriarcais e escolásticos. Eles se concentram na imagem da puberdade, tanto perto como longe, que vêem em uma mistura incerta de apreensão e esperança. Essas coisas inovadoras, impondo a sua presença nesta área, também apontam para a modernidade que aparece nestes pequenos vilarejos, mas permanece distante, temendo o desconhecido – “Ninguém consegue parar o tempo”, diz Carolina. Eles voltaram muitas vezes e são semelhantes a esta promessa ainda não satisfeitos de se desenvolver rumo ao progresso. Um dos desafios segredo de familia Consistirá então em saber se as duas adolescentes conseguirão ou não alcançar esse objetivo e realizar seu caminho de libertação. Este movimento levará a um belo tiro final, cuja solução não nos faça esquecer as dificuldades e incógnitas restantes.

READ  Netflix expande teste de recurso Fast Laughing em mais países

Outra metáfora eloqüente, são as estatuetas esculpidas por minha tia-avó para seu trabalho, que Joanna fará para sua alegria. Com esse gesto, ela reivindica o legado moral que sua avó herdou: a coragem de fazer valer sua liberdade e não deixar que seu destino seja ditado pelas expectativas dos outros. Esta filiação não fica no estado de observância da intenção, mas assume uma forma concreta porque a criança mais nova continua assim o trabalho utópico da doçaria artesanal do Velho. Esses pequenos indivíduos formados à mão, nos quais a câmera pára durante alguns planos em close-up, constituem por si só um universo alternativo, o modelo anti-social que o filme pede e revela sua necessidade. « Fiz mais do que fazer bonecos de neve. Ela estava criando mundos. » Dizemos sobre a tia-avó em seu funeral. Esta representação, em diferentes momentos da narrativa, destes microcosmos alinhados com os nossos desejos, procede de um luminoso espetáculo cinematográfico: revela a realidade e os processos nocivos que oculta ao mesmo tempo que propõe uma abertura. em direção à felicidade em outro lugar.

© Epicentro Filmes

© Todos os direitos reservados. Culturopoing.com é inteiramente voluntário (Association de loi 1901) e respeita os direitos autorais, enquanto respeita o trabalho dos artistas que procuramos promover. As imagens que aparecem no site são meramente ilustrativas, não são para fins comerciais e não são propriedade da Culturopoing. No entanto, se a imagem sair do nosso controle, ela será removida imediatamente. Contamos com a generosidade e a atenção de cada leitor – anônimo, distribuidor, assessor de imprensa, artista, fotógrafo.
Entre em contato com Bruno Piszczorowicz (lebornu@hotmail.com) ou Olivier Rossignot (culturopoingcinema@gmail.com).

© Todos os direitos reservados. Culturopoing.com é totalmente voluntário (Association de loi 1901) e respeita os direitos autorais, enquanto respeita o trabalho dos artistas que procuramos promover. As imagens que aparecem no site são meramente ilustrativas, não são para fins comerciais e não são propriedade da Culturopoing. No entanto, se a imagem sair do nosso controle, ela será removida imediatamente. Contamos com a generosidade e a atenção de cada leitor – anônimo, distribuidor, assessor de imprensa, artista, fotógrafo.
Entre em contato com Bruno Piszczorowicz (lebornu@hotmail.com) ou Olivier Rossignot (culturopoingcinema@gmail.com).

READ  Copa América: Jogos da Argentina e da Colômbia agendados, competição transferida para o Brasil

You May Also Like

About the Author: Echo Tenny

"Evangelista zumbi. Pensador. Criador ávido. Fanático pela internet premiado. Fanático incurável pela web."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *