Como a lua foi formada? O Japão terá pistas

Como a lua foi formada?  O Japão terá pistas

O diretor do projeto da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão disse que o Lunar Exploration Intelligent Lander, ou SLIM, que pousou na Lua no mês passado, usou sua câmera espectroscópica multibanda durante quatro dias para estudar a formação de rochas e trabalhou para examinar lunares. rochas. (JAXA), Shinichiro Sakai.

Esta missão lunar é a primeira do Japão. A sonda fez um pouso historicamente preciso em 20 de janeiro, embora tenha caído de cabeça para baixo. Seus painéis solares inicialmente não conseguiram ver o Sol e foram desligados após um breve contato com a Terra. Mas no oitavo dia, a sonda começou a operar, permitindo-lhe reconectar-se com sucesso com o centro de comando da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão na Terra.

Uma imagem em preto e branco enviada logo após a reativação do SLIM mostrou a superfície acidentada da lua, com seis pedras. O rover finalmente obteve dados sobre dez rochas no total, todas com nomes de raças de cães, como Akitano, Beagle e Shibino.

“Esperamos que a análise das rochas nos leve à origem da Lua”, disse Sakai. Ao comparar a composição mineral das rochas lunares com as rochas terrestres, pode-se descobrir se as rochas têm algum elemento em comum. De acordo com a hipótese da “colisão gigante”, a Lua foi formada como resultado da colisão da Terra com outro planeta e da rotação de uma massa menor desses dois planetas.

A equipe da JAXA esperava que o SLIM estudasse e analisasse apenas uma rocha. Portanto, a obtenção de dados sobre dez rochas foi motivo de comemoração, inspirando a equipe a estudar mais a fundo as origens da Lua.

SLIM encontra-se atualmente em estado de “hibernação” para mais uma noite lunar que se prolongará até ao final de fevereiro. Ainda não se sabe se a sonda e seu espectrômetro sobreviverão às temperaturas geladas durante a noite e se serão capazes de “acordar” quando a luz solar retornar.

READ  Assinatura de carbono descoberta em Marte pode ser de origem biológica

A sonda pousou a cerca de 55 metros de seu alvo, perto da cratera Shiuli, uma área coberta por rocha vulcânica. Este é o pouso mais preciso em comparação com missões lunares anteriores, que geralmente visavam áreas planas com pelo menos dez quilômetros de largura.

Se o lander não tivesse sofrido uma falha de última hora num dos seus dois motores principais, resultando numa aterragem mais difícil do que o esperado, a aterragem SLIM teria sido feita a poucos metros do alvo, estima a Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial.

O SLIM transportou duas sondas independentes que foram lançadas pouco antes do pouso, para registrar o pouso, o ambiente e outros dados lunares. As duas pequenas sondas completaram a missão de registrar o trabalho inicial do SLIM e desde então foram aposentadas.

Graças a esta aterrissagem na Lua, o Japão se tornou o quinto país a chegar à Lua, depois dos Estados Unidos, da União Soviética, da China e da Índia.

You May Also Like

About the Author: Genevieve Goodman

"Criador. Fã de café. Amante da Internet. Organizador. Geek da cultura pop. Fã de TV. Orgulhoso por comer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *