Eleições presidenciais na Argentina: um segundo turno emocionante

Un supporter de Sergio Massa brandit une affichette devant l'énorme affiche du candidat Javier Milei.

Publicado em 16 de novembro de 2023 às 18h44Atualizado em 16 de novembro de 2023 às 19h11.

Cartazes caseiros, eventos nos transportes, nas redes sociais e com familiares, a campanha estava a todo vapor na parte interna das eleições presidenciais. Com os argentinos votando no domingo para escolher seu novo presidente em um segundo turno que coloca dois modelos muito diferentes um contra o outro, o resultado da votação é completamente incerto.

Depois de ficar em segundo lugar no primeiro turno com 30% dos votos, sete pontos atrás do ministro da Economia Sergio Massa, Javier Miley, ultraliberal e populista, conquistou o apoio do ex-presidente de direita Mauricio Macri e de sua candidata malsucedida Patricia Bullrich.

Apoio destinado em particular a reafirmar as capacidades de Javier Miley, o extravagante candidato e novato político, para governar em caso de vitória. Também lhe permite reivindicar a liderança do seu concorrente nesta batalha para conquistar os eleitores que estão localizados no centro.

A pequena distância que separava os dois homens nas pesquisas, menor que as margens de erro dos institutos de votação, despertou eleitores que apoiavam Sergio Massa, até então muito negativo. Emanantes do mundo da política, do jornalismo, da arte, do futebol, ou das vítimas da ditadura (1976-1983), as suas aplicações são “Non Miley” e os lugares mais perigosos são múltiplos.

O desconhecido dos indecisos

“Um pouco de militarismo” vai ao encontro da estratégia de campanha do candidato a ministro, que prefere evitar qualquer manifestação massiva de peronismo para buscar um eleitorado não cativo.

A percentagem de indecisos é estimada em cerca de 10% dos cerca de 35 milhões de eleitores que foram convocados às urnas no domingo, e os indecisos desempenharão um papel importante no resultado. O debate entre os candidatos no último domingo, em grande parte dominado pelo teimoso Sergio Massa, deveria permitir-lhes decidir.

READ  O que o Barcelona vai oferecer a Neymar?

Este não era o caso. “A reação dos indecisos após o debate foi surpreendente. “Eles finalmente permaneceram muito estáveis”, observa o cientista político Facundo Cruz, que, em colaboração com o Observatório Pulsar da Universidade de Buenos Aires, conduziu um estudo sobre o impacto do debate nos eleitores.

“As características que tornam estes candidatos políticos muito diferentes – um muito profissional, mas que pode parecer arrogante, o outro espontâneo, mas inexperiente e incapaz de defender as suas ideias com clareza – acabaram por funcionar em sua desvantagem”, acrescenta.

Espectro de fraude

Esta incerteza torna-se ainda mais preocupante porque as fileiras do partido de Javier Miley, Libertad Avanza (LLA), levantam o espectro da fraude eleitoral e a possibilidade de contestar o resultado, como fez Donald Trump nos Estados Unidos ou Jair Bolsonaro. no brasil.

Na semana passada, um juiz de disputas eleitorais alertou que a província de Buenos Aires, a região mais populosa, apresentou uma quantidade de votos “significativamente menor” do que o recomendado. O que levanta receios de uma operação planeada para levantar futuras reclamações sobre a impossibilidade de votar em Javier Miley.

Além disso, o partido do candidato extremamente liberal submeteu aos tribunais um documento indicando a ocorrência de fraude durante a primeira volta, exigindo que “medidas de legalidade, transparência e certeza” fossem tomadas durante a segunda volta. Acusações sem provas, num país onde o sistema eleitoral funciona bem.

Com o clima tenso às vésperas da votação, a juíza Maria Cervini, encarregada de analisar recursos na cidade de Buenos Aires, descartou qualquer possibilidade de grande mudança nos resultados: “Na Argentina não podemos deixar falar em fraude , as eleições são sérias.” Quarenta anos após o regresso O país é democrático, a democracia está a ser testada.

READ  No Brasil, dez favelas montaram banco próprio

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *