Esperamos superar a insônia

Esperamos superar a insônia

A psicoterapia é tão eficaz quanto os remédios para dormir no tratamento da insônia e, em alguns casos, pode reduzir ainda mais a ansiedade de desempenho noturno. Estes são os resultados de um novo estudo realizado pela Universidade de Laval e publicado no final de dezembro na prestigiosa revista Rede gama.


Dois parques infantis

Foto de Olivier Pontrian, Arquivo de Imprensa

“A vantagem da psicoterapia é que ela pode levar a mudanças comportamentais, enquanto que com os remédios para dormir, se você os tomar por muito tempo, poderá ter problemas de dependência e precisar de doses mais altas”, disse Morin.

O estudo realizado pelo psicólogo Charles Morin, da Universidade de Laval, mostra, pela primeira vez, que a psicoterapia é tão eficaz quanto o remédio para dormir “Zolpidem” no tratamento das consequências funcionais da insônia. Esses efeitos duram mais de um ano. Dos 211 adultos com insônia que participaram do estudo, metade entrou em remissão após seis semanas iniciais. Ela então recebeu insônia resistente a outros tratamentos, incluindo um tipo mais avançado de psicoterapia e outro comprimido para dormir, a trazodona. “A vantagem da psicoterapia é que ela pode levar a mudanças comportamentais, enquanto que com os remédios para dormir, se você os tomar por muito tempo, poderá ter problemas de dependência e precisar de doses mais altas”, disse Morin.

ansiedade

Foto de David Boyle, arquivo de imprensa

“Às vezes, quando você não consegue dormir, isso se torna uma obsessão. Há ansiedade em relação ao desempenho e temos a impressão de que é um fracasso não conseguir dormir”, diz Morin.

Embora os comprimidos para dormir e a psicoterapia tenham resultados semelhantes na primeira fase, a psicoterapia na segunda fase tem a vantagem de reduzir a ansiedade. “Às vezes, quando você não consegue dormir, isso se torna uma obsessão”, diz Morin. Há ansiedade de desempenho, parece um fracasso não conseguir dormir. Tiraremos o dia de folga depois de uma noite sem dormir. Mas só porque você não dorme bem não significa que não possa trabalhar. Você pode adaptar seu trabalho para direcionar tarefas mais difíceis quando estiver mais focado. »

Comportamento e cognição

Foto de Gorodenkov, Getty Images

Você deve evitar telas ou atividades estressantes antes de dormir, sugere Morin.

A primeira parte da psicoterapia é “comportamental”. “Nosso foco são os hábitos de sono”, diz Morin. Por exemplo, se um paciente sente que está dormindo menos do que deveria, digamos seis horas em vez de oito, sugerimos que reduza a noite para seis horas. Então aumentamos 20 minutos diariamente. Você também deve evitar telas ou atividades estressantes antes de dormir. » Psicoterapia, Parte Dois, “Cognitiva”. “Trabalhamos com ruminações, obsessões e medos relacionados ao sono.” Os e-readers fazem parte das telas?Não, porque eles têm filtros de luz azul.

Aspectos funcionais

Foto de Olivier Pontrian, Arquivo de Imprensa

“A insônia também tem aspectos funcionais, como funcionamento diurno, depressão ou ansiedade”, diz Morin.

Os aspectos do comportamento avaliados por M. Morin são sintomas de depressão, ansiedade, fadiga e aspectos geralmente «funcionais» do trabalho e da vida social. “Mostramos no passado que a psicoterapia é tão eficaz quanto os remédios para dormir no tratamento apenas de aspectos do sono e da insônia”, diz o Sr. Morin. Mas a insônia também tem aspectos funcionais, como funcionamento diurno, depressão ou ansiedade. » Em alguns casos, o sono do paciente pode melhorar, mas ainda sofrer efeitos funcionais devido à insônia.

Próximos passos

Foto de Olivier Pontrian, Arquivo de Imprensa

“A insônia associada a muita ansiedade parece mais provável de ser tratada com psicoterapia cognitivo-comportamental”, diz Morin.

Pesquisas emergentes mostram que o tipo de insônia pode explicar o sucesso da psicoterapia ou da terapia medicamentosa. “A insônia associada a muita ansiedade parece mais provável de ser tratada com psicoterapia cognitivo-comportamental”, diz Morin. Existem também novos medicamentos menos viciantes, além de métodos que contam com o uso intermitente de soníferos para evitar o vício, afirma o especialista.

READ  Brasil: Bolsonaro diz que está se escondendo para chorar no banheiro

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *