Estas fotos podem fornecer a primeira visão do mundo de um grande tubarão branco recém-nascido

Estas fotos podem fornecer a primeira visão do mundo de um grande tubarão branco recém-nascido

Grandes tubarões brancos Eles estão entre os predadores mais proeminentes do oceano, mas uma parte importante da sua existência nunca foi registrada ou mesmo vista antes – até agora. Pela primeira vez, acredita-se que um filhote de tubarão branco foi capturado pela câmera, logo após seu nascimento.

Durante anos, o fotógrafo e cinegrafista de vida selvagem Carlos Gaona se aventurou e passou horas fotografando tubarões, um processo que ele chama de busca para descobrir “as vidas secretas dos tubarões”.

“Quero contar a história do que os tubarões fazem quando não os vemos, quando não interagimos com eles, quando não os tocamos”, disse ele à CBS News. “…E através dessa experiência, vi alguns tubarões fazerem coisas realmente selvagens, coisas que não têm explicação. …Você nunca sabe o que vai ver.”

Carlos Gaona capturou imagens do que se acredita ser um grande tubarão branco recém-nascido nadando na costa de Santa Bárbara, Califórnia, no ano passado, no que representa as primeiras imagens de um grande tubarão branco nessa fase.

Carlos Gaona/@TheMalibuArtist


Quando Gauna partiu em 9 de julho do ano passado, ele não tinha ideia do que encontraria. Depois de passar três anos monitorando tubarões na área de Santa Bárbara, ele disse ter notado um encontro de “tubarões realmente grandes” durante um determinado mês.

“É sempre comida ou reprodução ou algo assim”, disse ele. “Eles vêm aqui por um motivo.”

Costumes de nascimento Ótimo branco Em grande parte desconhecido da comunidade científica. Pelo que observaram os pesquisadores, o período de gestação dos animais ultrapassa um ano, com as mães tubarões geralmente carregando entre dois e 10 filhotes por vez. Os animais são ovíparos, o que significa que os ovos contendo seus embriões eclodem dentro de seus corpos, mas são posteriormente liberados através do nascimento vivo após estarem totalmente desenvolvidos.

Gaona duvidava que os tubarões nesta área pudessem dar à luz, mas quando ele trouxe o assunto aos cientistas e fez pesquisas, ele disse que foi informado principalmente de que os tubarões brancos só dariam à luz em águas mais profundas. Mas então, usando a penúltima bateria de seu drone, ele e seu parceiro, Philip Stearns, estudante de doutorado em biologia da UC Riverside, notaram um tubarão muito grande descendo debaixo d'água a cerca de 300 metros da costa.

Um fotógrafo de longa data da vida selvagem capturou uma foto de drone do que se acredita ser o primeiro avistamento de um grande tubarão branco recém-nascido.

Carlos Gaona/@TheMalibuArtist


“Poucos minutos depois, essa coisinha saiu daquele local”, disse ele à CBS News, dizendo que inicialmente pensaram que o animal branco de cerca de 1,5 metro de comprimento poderia ser um tubarão albino. “…Era muito pequeno – muito pequeno comparado a todos os outros tubarões.”

Ele então reproduziu o vídeo e notou uma película branca caindo do tubarão enquanto ele nadava.

“Acho que as palavras de Phil foram: ‘Meu Deus, acho que pode ser um recém-nascido’”, disse ele. em Comunicado de imprensaEle acrescentou: “Tubarões brancos mortos foram encontrados dentro de mães grávidas mortas. Mas nada como isto.”

Alguns dos cientistas com quem a dupla conversou acreditavam que o que observaram era uma doença de pele, mas Gaona – cujas descobertas foram revisadas por pares e publicadas na segunda-feira na revista Fish Environmental Biology – acredita que o que testemunharam foi um tubarão recém-nascido secretando leite dentro do útero. De acordo com um estudo separado de 2022 realizado por outros pesquisadores, os tubarões brancos produzem uma “secreção rica em lipídios para nutrir o feto” conhecida como Leite uterino dentro da parede uterina.

Ele também disse que o tamanho e a forma do tubarão, combinados com o fato de que tubarões grávidos já haviam sido vistos na área, sugeriam que se tratava de um recém-nascido. O tubarão tinha cerca de um metro e meio de comprimento – o tamanho típico dos recém-nascidos – e sua barbatana era curta e arredondada.

“Não vejo como uma doença de pele explica isso”, disse ele. “Dado o tamanho do tubarão, e dada a redondeza única daquela barbatana dorsal, ele não pode dar à luz uma barbatana dorsal reta, longa, reta e pontiaguda.

Capturar um nascimento vivo de qualquer espécie é raro, disse Gaona, porque é “imprevisível”. Embora encontrar um tubarão recém-nascido não seja exatamente fácil O “Santo Graal” da ciência dos tubarões Porque não se trata do nascimento em si, Gaona disse que é um “elemento-chave” que pode ajudar os investigadores a chegar lá. É especialmente importante para os grandes tubarões brancos, onde a espécie é levada em consideração exibição Na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN.

Carlos Gaona/@TheMalibuArtist


“Fotografar no oceano é uma das coisas mais difíceis de fazer no planeta”, disse ele. “…[With great whites] Sempre pensamos que era profundo, que estava longe da costa. É por isso que acho que isso é tão importante, porque talvez tenhamos que começar a olhar mais perto da costa.”

Para Jonas, a busca ainda não acabou. Ele é fascinado por tubarões desde os cinco anos de idade, quando tinha um tubarão de brinquedo com o qual brincava no banheiro. Ao longo dos anos, ele diz ter testemunhado animais sofrerem danos significativos, incluindo colisões de barcos e ataques de pescadores. A certa altura, disse ele, fotografou um grande animal branco morto que tinha “uma corda amarrada na boca e as mandíbulas puxadas para fora” – no mesmo local onde fotografou o recém-nascido.

Gaona disse que os animais precisam de mais pesquisa e proteção e planeja continuar investigando as “criaturas estranhas, silenciosas e delicadas” que ainda são misteriosas demais para a comunidade científica.

“Qualquer viveiro de qualquer espécie deve ser considerado importante”, disse ele. “… Voltaremos e veremos se conseguimos capturá-lo novamente.”

READ  Alerta Aurora! Um par de massa coronal ejetado para bloquear o campo magnético da Terra

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *