Fendi Globe: Dalin no topo, suspense completo

Monocasco Apivia de Charlie Dalin, 30 de setembro de 2020 ao largo de Port-la-Forêt, alguns meses antes do início da Vendée GlobeLoic VENANCE

Charlie Dahlene (Abivia) ainda está no topo da Fendi Globe na quinta-feira ao meio-dia, mas seu vice-campeão alemão Boris Hermann, que vai aproveitar a compensação de tempo por sua participação no salvamento de Kevin Escove, diminuiu a diferença. Dentro de 80 milhas náuticas (128 km).

De acordo com as previsões fornecidas pelos organizadores na quinta-feira, os cinco primeiros barcos devem cruzar a linha de chegada em Les Sables d’Olonne na próxima quarta-feira, seguidos por mais quatro no dia seguinte.

Com menos de uma semana restante e menos de 2.200 milhas náuticas (3.540 km) do final, é difícil fazer previsões.

A opção oeste escolhida por Lewis Burton (Bureau Vallée 2), quarto lugar na classificação a 132,7 nm atrás do líder (212 km), pode realmente dar certo, com condições de vento mais intensas aparentemente.

Na ordem do meio-dia de quinta-feira (11:00 GMT), Dalen manteve o comando da frota, mas seu vice-campeão Boris Hermann (Seaexplorer-Yacht Club de Monaco) reduziu a diferença para 77,4 nm (124 km).

Thomas Roillard (LinkedOut) veio em terceiro, pouco mais de 100 nm atrás do líder, seguido por Lewis Burton a 132,7 nm e Damien Seguin (grupo Apicil) a 140 nm.

O ex-líder Yannick Pestafin (Master Roaster IV), que admitiu ter encontrado falhas técnicas, ficou em sexto lugar com mais de 140 nm, seguido pelo italiano Giancarlo Bidotti (Prismian Group) a cerca de cinquenta milhas. .

– 7 marinheiros em 200 milhas –

A vitória final deve ser alcançada entre esses sete velejadores, que estão a menos de 200 milhas de distância. Em oitavo lugar, Jean Le Cam está a mais de 300 milhas atrás.

READ  Propaganda do Big Payet do Brasil - Sport.fr

Se vencer em Les Sables d’Olonne, Boris Hermann será o primeiro estrangeiro a vencer a corrida de simples sem parar e sem ajuda, cuja primeira edição foi para Tetuan Lamazou em 1990.

Em 2017, o britânico Alex Thompson, que se aposentou este ano, ficou em segundo lugar, menos de 16 horas atrás da vencedora Armelle Le Kliac.

Nascido em Oldenburg (Baixa Saxônia), Hermann, assim como Pestafen, deu seus primeiros passos na classe Mini. Em 2001, o competidor mais jovem tinha apenas 20 anos, ficou em 11º lugar (na categoria série) pela Mini Transat, e venceu em Salvador da Bahia (Brasil) na categoria protótipo por Yannick Bestaffin.

O alemão, que provou que sabe navegar rápido ao marcar o terceiro melhor tempo da Copa Júlio-Verne a bordo do Idec Sport para Francis Guyon, pode surpreender, que vai se beneficiar, uma vez cortada a seqüência de rebatidas, indenização em 6 horas pelo seu encaminhamento para participar do resgate Kevin Escove.

Além de Jean-le-Cam, que recebeu uma recompensa de 16 horas e 15 minutos por salvar Escovier e levá-lo a bordo, Pestafine será capaz de tirar 10 horas e 15 minutos dele assim que cruzar a linha.

You May Also Like

About the Author: Winona Wheatly

"Analista. Criador. Fanático por zumbis. Viciado em viagens ávido. Especialista em cultura pop. Fã de álcool."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *