fluxos de ajuda para o sul inundado, mais chuvas são esperadas

fluxos de ajuda para o sul inundado, mais chuvas são esperadas

AFP

África do Sul: seis mortos, 47 trabalhadores presos sob edifício desabado

As equipes de resgate redobraram nesta terça-feira os esforços para encontrar 47 trabalhadores presos nos escombros de um prédio em construção que desabou na véspera em George, na costa sul-africana, e no qual já morreram seis pessoas, segundo o último balanço das autoridades. . “Eles estão lá há mais de 24 horas, já é muito tempo”, declarou o primeiro-ministro provincial, Alan Winde, durante uma coletiva de imprensa à tarde. Lembrando que o padrão internacional para uma operação de resgate se estende por três dias, estimou que “este segundo dia é crítico” para encontrar sobreviventes. “Estamos em contacto com onze pessoas”, tinha dito pouco antes Colin Deiner, chefe das operações de resgate, incluindo “quatro que estão presos numa cave”. Ao todo, 47 trabalhadores ainda estão desaparecidos. Alguns conseguiram ligar para relatar. “Pedimos a eles que desligassem regularmente seus celulares para economizar bateria”, disse Winde. Aqueles que conseguiram denunciar, através dos seus telemóveis ou gritando e batendo para fazer barulho, foram identificados em três locais considerados prioritários, disse Deiner. Mas “não sabemos quantas pessoas estão” justamente em cada uma delas. Tirar essas pessoas de lá pode levar boa parte do dia. Depois, “começaremos a destratificar” os escombros, ou seja, a limpar piso por piso, porque “ainda poderá haver sobreviventes” por baixo, acrescentou. Ao todo, até agora, 28 pessoas, incluindo os seis falecidos, foram retiradas dos escombros, a maioria dos sobreviventes hospitalizados. As equipes de resgate devem “cortar as camadas de concreto” que pesam toneladas “e levantá-las”, lembrou Winde, um trabalho longo e delicado. – Investigação aberta – O presidente Cyril Ramaphosa apresentou “as suas mais profundas condolências” aos entes queridos dos falecidos e “os seus pensamentos” às famílias dos trabalhadores ainda presos. “Uma equipa de trabalho de 75 pessoas estava no local no momento do desabamento” deste edifício residencial em construção, segunda-feira, pouco depois das 14h00 locais (12h00 GMT), disse a porta-voz do município, Chantel Edwards. As construtoras envolvidas na obra trabalharam com as autoridades para estabelecer uma lista precisa de pessoas das quais ainda não foram ouvidas, especifica a cidade. O prédio de cinco andares, incluindo um estacionamento subterrâneo, desabou por motivos ainda indeterminados. Deveria conter 42 apartamentos elegantes, desde estúdios a apartamentos de três quartos. Seus planos foram aprovados pela Prefeitura em julho de 2023. Foi aberto inquérito policial. As imagens do desastre mostram um canteiro de obras destruído em torno do qual vários serviços de emergência estão posicionados. O telhado do edifício permanece visível, instável, acima de uma pilha de escombros. O local foi isolado por um perímetro de segurança. Cerca de 200 socorristas, auxiliados por retroescavadeiras e escavadeiras, além de equipes de cães farejadores, trabalham arduamente nesta corrida contra o tempo. Um posto operacional coordena as diversas equipes de resposta no local, provenientes de diversas cidades vizinhas e até mesmo da Cidade do Cabo, mais de 400 km a oeste do desastre. Famílias e entes queridos foram convidados a se reunir na prefeitura, próximo ao prédio que desabou, onde foram atendidos. George é uma cidade de médio porte com cerca de 160.000 habitantes, localizada perto da muito turística Garden Route, que percorre a costa sul do país. A sua Câmara Municipal é liderada pelo principal partido da oposição do país, a Aliança Democrática (DA), que também governa a província do Cabo Ocidental.ger/cab

READ  “A bola bate na mão, mas o juiz acertou”, diz Ron sobre pênalti cancelado - 09/01/2021

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *