Jeff, mova-me! Pinturas de mísseis do capitão Star Trek Bezos

Quando Star Trek foi ao ar pela primeira vez em 1966, os americanos ainda não haviam caminhado na lua, e a ideia de que os humanos poderiam viver e trabalhar no espaço ainda estava muito longe.

• Leia também: O famoso capitão Kirk de Star Trek irá para o espaço, William Shatner

Na quarta-feira, William Shatner, que interpretou o icônico Capitão Kirk na icônica série, será o primeiro ator do elenco a fazer uma verdadeira jornada à “fronteira do infinito”.

Ele irá, junto com três outros passageiros do West Texas, a bordo de um foguete Blue Origin em um vôo suborbital que será o segundo vôo tripulado da empresa do bilionário Jeff Bezos.

Um evento que vai deliciar os fãs deste fenômeno da cultura popular, que inspirou gerações de astronautas.

A decolagem, provisoriamente marcada para terça-feira, 12 de outubro, foi adiada em um dia devido ao clima.

“Pretendo manter meu nariz colado à janela. Tudo que não quero ver é Gremlin olhando para mim do outro lado”, brincou o ator canadense em um vídeo postado pela Blue Origin.

Aos 90 anos, ele se tornará a pessoa mais velha a chegar ao espaço.

A decisão da Blue Origin de convidar um dos mais notórios viajantes espaciais de ficção científica não é inocente: deve ajudar a preservar o interesse público na corrida entre as muitas empresas privadas do setor.

Em julho, o bilionário britânico Richard Branson voou a bordo da Virgin Galactic, poucos dias antes de Jeff Bezos, no primeiro vôo tripulado de um míssil New Shepard – a mesma coisa que iniciará William Shatner.

Por sua vez, a SpaceX enviou quatro turistas espaciais para três dias em órbita terrestre em setembro, missão que foi tema da série Netflix.

READ  Mykolaiv foi atingido por um ataque russo, pelo menos sete pessoas foram mortas

“Associar uma celebridade como William Shatner ao espaço traz uma espécie de renascimento e cria interesse na mídia”, disse à AFP Joe Chapowski, especialista em relações públicas da Universidade da Carolina do Norte.

A série Star Trek original foi descontinuada após três temporadas, mas sequências e mais de uma dúzia de filmes depois alimentaram o fenômeno.

O capitão Kirk estava no comando de uma missão de cinco anos “para explorar novos mundos estranhos, descobrir novas vidas e outras civilizações”.

Sua verdadeira viagem ao espaço seria muito mais curta: cerca de dez minutos no total, dos quais quatro minutos seriam em gravidade zero. A espaçonave viaja diretamente acima da Linha Karman, que marca a fronteira do espaço a uma altitude de 100 km, de acordo com o acordo internacional.

A série Star Trek voltou a atenção da América para a conquista do espaço, então em sua infância, ao mesmo tempo em que abordava questões sociais.

O elenco era muito diversificado, quando a América estava no meio do movimento pelos direitos civis. Em 1968, quando William Shatner e a atriz afro-americana Nichelle Nichols se beijaram, esse foi o primeiro beijo entre uma pessoa branca e uma pessoa de cor na televisão americana.

A série também está intimamente associada ao programa espacial dos EUA.

O primeiro ônibus espacial da NASA foi batizado de “Enterprise”, em homenagem à espaçonave pilotada pelo Capitão Kirk. Na década de 1970, Nichelle Nichols fez um vídeo para ajudar a NASA a recrutar astronautas, especialmente mulheres e minorias. Outros atores participaram de conferências da USAID ou forneceram suas vozes para documentários.

“Por 50 anos, Star Trek inspirou gerações de cientistas, engenheiros e até astronautas”, disse o astronauta americano Victor Glover em 2016, em um documentário examinando paralelos entre as pesquisas conduzidas na série e as conduzidas hoje a bordo do espaço internacional.

READ  Presidência na França: a contagem regressiva começou

Outro famoso fã de Star Trek? O próprio Jeff Bezos. Por exemplo, ele explicou como Alexa, a assistente de voz da Amazon, se inspirou no computador de Star Trek.

O bilionário até apareceu, irreconhecível sob a maquiagem espacial, em um dos filmes: “Star Trek Without Limit” (2016).

A fama de William Shatner, além de suas piadas – ele disse em uma entrevista à CNN que o foguete New Shepard, muitas vezes ridicularizado por sua aparência fálica, é “inoculado com o programa espacial” – também é uma diversão bem-vinda para a Blue Origin.

Alguns funcionários – antigos e atuais – acusam a empresa de manter um ambiente de trabalho “tóxico”, onde a discriminação de gênero é onipresente. Em texto postado online no final de setembro, esses funcionários denunciaram a falta de pessoal e recursos e a intensa pressão para reduzir custos e atrasos, afetando a segurança dos voos.

A Blue Origin negou essas acusações.

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *