Lula é libertado da prisão para interrogatório em caso de corrupção

Lula é libertado da prisão para interrogatório em caso de corrupção

O ex-presidente brasileiro Lula, preso desde abril por acusações de corrupção e lavagem de dinheiro, deixou na quarta-feira sua prisão em Curitiba para interrogatório em outro caso que o envolve.

Publicado em:

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde abril sob acusações de corrupção, saiu pela primeira vez de sua cela em uma prisão de Curitiba, quarta-feira, 14 de novembro, durante um interrogatório fechado em outro caso que o envolve.

“Eu me considero um prêmio. Fui um prêmio da Lavage Express.” [le nom de l’enquête anticorruption, NDLR] Foi para entregar. “Não sei por que não gostam de mim, mas fui um troféu que precisava ser entregue”, disse Lula durante a audiência de quase três horas.

>> Leia: Brasil: Ex-presidente Lula passa primeira noite na prisão

O ex-presidente, ícone da esquerda brasileira, também afirmou estar “cansado das mentiras” contra ele. Lula (73 anos) chegou ao tribunal de carro pouco antes das 14h (16h GMT), horário marcado para este interrogatório, após o qual os tribunais publicaram suas imagens de vídeo.

Cerca de 200 ativistas de esquerda reuniram-se em frente ao edifício, onde as medidas de segurança foram reforçadas. Pela manhã, cerca de uma centena de seus apoiadores aguardavam sua saída da sede da Polícia Federal, a cinco quilômetros de distância, onde cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão por acusações de corrupção e lavagem de dinheiro.

“Lavagem rápida”

O ex-presidente de esquerda (2003-2010) foi interrogado pela juíza Gabriela Hardt, hoje responsável pela investigação anticorrupção “Express Wash”. Ela substitui o juiz Sergio Moro, que aceitou o cargo de ministro da Justiça do presidente eleito Jair Bolsonaro, que tomará posse em janeiro próximo.

READ  No Brasil, ladrões fortemente armados pegam o cofre errado O mundo | Notícias Certo

Lula é acusado de se beneficiar de obras financiadas por construtoras entre 2010 e 2014 em um imóvel em Atibaia, no estado de São Paulo. Essa obra deveria ser realizada em troca de contratos com o grupo petrolífero estatal Petrobras.

Na quarta-feira, durante o interrogatório, Lula alegou que não era proprietário do imóvel em questão e desconhecia totalmente o negócio em questão. Ele disse repetidamente que esta propriedade “não me pertencia”.

Em geral, a defesa de Lula sustenta que ele é inocente e vítima de uma conspiração político-judicial. O juiz Moro o condenou em julho de 2017 em outro caso envolvendo um apartamento à beira-mar que ele teria adquirido para a construtora OAS.

Lula nega qualquer culpa

Além desses dois casos, o judiciário brasileiro indiciou Lula em outros quatro casos. Ele nega qualquer culpa em todos esses assuntos.

Na manhã desta quarta-feira, o ex-presidente recebeu a visita de Fernando Haddad, candidato vencido do Partido dos Trabalhadores no segundo turno das eleições presidenciais vencidas por Jair Bolsonaro (extrema-direita) em 28 de outubro.

>> Leia: Brasil: O lento colapso do sistema político levou Bolsonaro ao poder

Uma semana antes de sua eleição, Jair Bolsonaro exclamou em um discurso inflamado que esperava ver Lula “apodrecer na prisão”.

A defesa de Lula pediu a sua libertação e a anulação da sua condenação, citando alegada parcialidade do juiz Sergio Moro, que aprovou a entrada no próximo governo de extrema-direita.

Com a Agência France-Presse

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *