Marquinhos responde ao RMC por críticas ao jogo do Paris

Excepcional convidado Rothen flagrado sexta-feira no RMC, Marquinhos defendendo o PSG diante das críticas. O zagueiro brasileiro tocou particularmente na questão do equilíbrio coletivo quando o trio de Mbappé, Messi e Neymar se alinharam.

O Paris Saint-Germain viaja a Nice no sábado, durante o 27º dia da Ligue 1 francesa. Um choque contra o Aiglon que poderia permitir que os moradores de Ile-de-France consolidassem seu lugar como líder da classificação contra o atual terceiro lugar do campeonato. Após o resultado da contabilidade, espera-se que os parisienses empatam o jogo praticado contra o grupo de Christophe Galtier. Às vezes, em tempos difíceis nesta temporada, Paris realmente brilhou Liga dos Campeões contra o Real Madrid. Convidado do RMC na sexta-feira, Marquinhos quis defender o recorde do time diante das críticas.

“Não podemos negligenciar tudo o que fizemos desde o início da temporada. Fizemos muitas viagens e treinamentos, deixando nossas famílias em casa, indo e voltando escolhendo. O jornalista (que fez uma pergunta anterior sobre os comentaristas) também está trabalhando e não valoriza seu trabalho fazendo uma pergunta dessas, o zagueiro demitiu o brasileiro durante sua aparição no programa Ruthin inflama. Um pouco chateado. Recebi muitas perguntas sobre o mesmo assunto, mas Você pode perguntar se foi uma partida importante para o Paris Saint-Germain e se este foi o momento decisivo da temporada… Há muitas maneiras de fazer essa pergunta e ele fez isso de uma maneira que me frustrou um pouco pouco, então é por isso que tenho agido dessa maneira.”

>> As últimas notícias do 27º dia de L1 ao vivo

Marquinhos não se preocupou com o jogo que você jogou

Tendo sido derrotado apenas duas vezes nesta temporada na Ligue 1, o Paris Saint-Germain enfrenta muitas críticas, já que a equipe paradoxalmente parece menos no controle da partida. Pelo contrário, frente ao Real Madrid na primeira mão dos oitavos-de-final da C1 (1-0), os parisienses dominaram bem o assunto.

READ  Jogos Olímpicos de Tóquio: um empate complexo para as equipes francesas de handebol

“É difícil explicar. Fizemos bons jogos, outros foram mais difíceis”, explicou Marquinhos novamente. O futebol é um pouco inexplicável, às vezes você tem jogos ruins e consegue conquistar a vitória, às vezes você faz jogos bons e pode Mas os adversários que encontramos na Ligue 1 têm uma maneira muito diferente de jogar o Real Madrid. Tentamos nos adaptar da melhor maneira possível para poder fazer coisas boas. Partidas com frequência.”

>> Real-PSG, quarta-feira, 9 de março no RMC Sport

‘Temos muitas oportunidades’

Além dos resultados obtidos pelo Paris Saint-Germain, o jogo que às vezes é disputado mostra que o time se divide em dois entre os setores de ataque e defesa. Quando o Paris sofre, muitas vezes está associado à falta de equilíbrio e Marquinhos percebe isso: os adversários têm mais chances.

“Concordamos. Este ano, conseguimos ser muito perigosos, mas também estamos mais vulneráveis, concedemos muitas chances. Como defensor, sinto que, especialmente, ligamos a aura internacional a 65 seleções que temos que entender nossas fraquezas e nossos pontos fortes, seja esperto para melhorar e certifique-se de ganhar confiança para as próximas partidas. Ser o dominante durante a partida para não revelar nossas fraquezas.”

Paris deve encontrar um equilíbrio com suas três estrelas

O Paris Saint-Germain não conseguiu muito envolver o trio de Mbappé, Messi e Neymar nesta temporada. Este não será o caso no próximo sábado contra o Nice devido à suspensão de Kylian Mbappe.

Mas salvo uma surpresa desagradável ou um mau funcionamento físico, as três estrelas atacantes devem jogar juntas em poucos dias em Madrid contra o Real. Um sistema que leva o resto da equipe a se adaptar para encontrar o equilíbrio certo entre eficiência ofensiva e impermeabilidade defensiva.

READ  Rodrygo, do Real Madrid, responde a Pelé

Marquinhos disse: “São escolhas, conhecemos nossa equipe. Se colocarmos dez zagueiros em campo, será muito mais fácil defender. Mas vamos sentir falta do lado ofensivo. É importante ter equilíbrio no time. têm armas ofensivas muito fortes, mesmo excepcionais.”

E o principal capitão do Paris Saint-Germain conclui com coragem: “Contra o Real Madrid, conseguimos encontrar esse ponto de equilíbrio que nos permitiu estar confortáveis ​​e confiantes durante a partida. Às vezes funciona, às vezes menos. Na Ligue 1, muitas vezes temos a bola, estamos muito felizes em campo O campo, mas às vezes estamos mal organizados no contra-ataque. São pequenos detalhes que precisam ser corrigidos e fazem a diferença no resultado.”

Ignição JGL com Rothen

You May Also Like

About the Author: Winona Wheatly

"Analista. Criador. Fanático por zumbis. Viciado em viagens ávido. Especialista em cultura pop. Fã de álcool."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *