no Brasil, técnico do Vasco questiona presença de árbitra “mulher”

no Brasil, técnico do Vasco questiona presença de árbitra “mulher”
Ramón Diaz.
E]Martin Zabala / Zuma / Panorâmica

Ramon Diaz, técnico do Vasco da Gama de Riro de Janeiro, questionou nesta quarta-feira a presença de uma mulher no comando do vídeoárbitro.

O técnico do clube carioca Vasco da Gama, o argentino Ramon Diaz, questionou nesta quarta-feira a presença de um “mulheres” responsável pela videoarbitragem, declaração que gerou polêmica no Brasil.

“O futebol é diferente, e o facto do VAR (vídeo assistência à arbitragem, Nota do Editor) ser decidido por uma mulher parece-me bastante complicado”, declarou o técnico de 64 anos durante entrevista coletiva em Bragança Paulista (sudeste), após a derrota de sua equipe para o Bragantino por 2 a 1 pelo Campeonato Brasileiro. Criticando a arbitragem brasileira como um todo, Diaz questionou a decisão da árbitra do VAR Daiane Muniz de não marcar um possível pênalti ao Vasco na última partida do Vasco, na vitória por 2 a 1 sobre o Grêmio Porto Alegre, domingo, no Rio.

Diaz pediu desculpas aos repórteres minutos depois e fez sua declaração, considerada “macho” por vários meios de comunicação locais e nas redes sociais, foi mal interpretada.

“O que eu queria dizer é que uma só pessoa não pode decidir, tomar uma decisão tão importante (…) como a da intervenção do VAR”, tentou explicar fora do estádio Nabi Abi Chedid. Nas redes sociais, Vasco da Gama lamentou comentários do treinador e reafirmou “seu compromisso em fortalecer as medidas educativas necessárias de acordo com suas determinações, valores e princípios”. “Pedimos desculpas, assim como o nosso treinador”foi escrito.

VEJA TAMBÉM – Liga dos Campeões: Paris Saint-Germain comemora qualificação para as semifinais

” data-script=”https://static.lefigaro.fr/widget-video/short-ttl/dugout/index.js” >

READ  Ranking da FIFA: Brasil novo líder, fim do reinado para a Bélgica

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *