NO PALCO COM Cristiana Reali explica por que não voltou ao Brasil e o que a manteve na França

NO PALCO COM Cristiana Reali explica por que não voltou ao Brasil e o que a manteve na França

Por Olivia Maunoury | Co-editor-chefe

Depois de estudar ciência política e cursar jornalismo, as pessoas se convidavam para sua vida cotidiana. Como por que ? Ela ainda não sabe direito… Mas uma coisa é certa, acompanhar as aventuras das estrelas é a garantia de nunca ficar entediado. E nunca ficamos entediados no Purepeople!

Cristiana Reali nasceu em São Paulo, Brasil. Chegando à França na juventude com seus pais e irmãs, ela nunca mais saiu. Em “On stage with”, novo formato original da Webedia, a atriz que interpreta Blanche Dubois em “A Tramway Named Desire” no Théâtre des Bouffes parisiense, explica porque escolheu ficar na França.

Cristiana Reali explica porque nunca mais voltou a morar no Brasil depois de se mudar para a França com a família em “No palco com” © Webedia

O resto depois do anúncio

No dia de seu nascimento, 16 de março de 1965 em São Paulo, Cristiana Reali ainda não sabia que futuro brilhante lhe estava destinado. Um futuro majestoso que foi construído principalmente na França e não em sua terra natal para sempre em seu coração.

Ainda criança, Cristiana Reali deixou o Brasil com os pais e irmãs. Uma mudança motivada pelo pai, jornalista profissional. Para se integrar da melhor forma possível e falar a língua nacional que ainda não domina muito bem, a jovem tem aulas de teatro com as irmãs. Um primeiro contato com a performance ao vivo que lhe despertaria uma verdadeira paixão alguns anos depois.

Le Cours Florent, um trabalhinho e um namorado para Cristiana Reali

No Théâtre des Bouffes parisiense desde 31 de janeiro até 25 de maio, para encarnar brilhantemente Blanche Dubois em Um Bonde Chamado Desejo (peça escrita por Tennessee Williams e dirigida por Pauline Susini), Cristiana Reali relembra sua trajetória no primeiro episódio de No palco com. Neste novo formato original da Webedia, a atriz explica porque nunca mais voltou ao Brasil e o que a fez decidir ficar na França. “Foi o teatro que também me fez ficar em França porque estudei direito. Eu ia voltar para o Brasil e tinha que fazer alguma coisa que pudesse ser seguida e a lei francesa, mesmo que não seja a mesma do Brasil, era muito reconhecida, então se eu tivesse que continuar a universidade lá embaixo…”, confidencia a mãe de Elisa e da Toscana no preâmbulo antes de detalhar um pouco mais sua escolha.

READ  “Não pensei que pudesse encontrar ‘pior’” Dimitri Payet fala sobre o fervor brasileiro

Decidi parar tudo, arranjei um pequeno emprego, inscrevi-me no Cours Florent, tive um ano de folga depois da escola e não tive mais que pagar a escola.“, continua Cristiana Reali, especificando que em sua vida também houve”um namorado.” “Isso me ajudou a decidir sobre minha vida” acrescenta ela, voltando ao papel desempenhado pelo teatro na sua escolha de permanecer na França.

Personagem icônica das artes cênicas, Cristiana Reali vive suas últimas apresentações de Um Bonde Chamado Desejo no teatro parisiense Bouffes. A peça vai até 25 de maio, oportunidade de descobrir, ou redescobrir, a atriz marcante neste papel que lhe permitiu ganhar o Molière de atriz em espetáculo de teatro privado no dia 6 de maio durante a 35ª Noite de Molières.

Conteúdo exclusivo não pode ser reproduzido sem a menção do Purepeople.

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *