“Nunca suspeitamos de algo tão estranho!”

Dinkinesh Family Portrait

Esta imagem mostra o asteroide Dinkinesh e seu satélite vistos pelo Lucy Long Range Reconnaissance Imager (L’LORRI) quando a espaçonave Lucy da NASA deixou o sistema. Esta imagem foi tirada às 13h EDT (1700 UTC) do dia 1º de novembro de 2023, cerca de 6 minutos após a aproximação mais próxima, a um alcance de cerca de 1.010 milhas (1.630 km). Desta perspectiva, revelou-se que o satélite era um contacto binário, a primeira vez que um contacto binário foi visto orbitando outro asteróide. Crédito da imagem: NASA/Goddard/SwRI/Johns Hopkins APL

A surpreendente observação de Lucy, da NASA, do primeiro asteróide orbitando um binário conectado

Acontece que há mais no “magnífico” asteroide Dinkenish e em seu satélite recém-descoberto do que aparenta. como NASAA sonda Lucy de Dinkinesh continuou a enviar dados do primeiro encontro de asteroides em 1 de novembro de 2023, e a equipe ficou surpresa ao descobrir que o inesperado satélite de Dinkinesh é ele próprio um binário de contato — ou seja, é feito de dois objetos menores que se tocam. .

Notas iniciais e surpresas

Nas primeiras imagens de downlink de Dinkinesh e do seu satélite, tiradas do ponto mais próximo, os lóbulos de comunicação do binário estão localizados um atrás do outro, do ponto de vista de Lucy. Foi somente quando a equipe conectou imagens adicionais, tiradas nos minutos seguintes ao encontro, que a verdadeira natureza do objeto foi revelada.

Nave espacial Lucy da NASA durante o sobrevôo do asteróide Dinkenish

Um diagrama que mostra a trajetória da espaçonave Lucy da NASA (vermelho) enquanto ela passa pelo asteroide Dinkenish e seu satélite (cinza). A letra “A” indica a posição da espaçonave às 12h55 EDT (1655 UTC) do dia 1º de novembro de 2023, e a inserção mostra a imagem L’LORRI tirada naquele momento. A letra “B” indica a posição da espaçonave alguns minutos depois, às 13h EDT (1700 UTC), e a inserção mostra a visão L’LORRI correspondente naquele momento. Fonte: Desenho panorâmico, NASA/Goddard/SwRI; Imagem anexada “A” NASA/Goddard/SwRI/Johns Hopkins APL/NOIRLab; Imagem anexada “B”, NASA/Goddard/SwRI/Johns Hopkins APL

“A ligação de binários parece ser bastante comum no sistema solar”, disse o vice-cientista do projecto Lucy, John Spencer, da filial de Boulder, Colorado, do Southwest Research Institute, com sede em San Antonio. “Não vimos muitos deles de perto e nunca vimos um orbitando outro asteróide. Ficamos intrigados com as estranhas variações no brilho de Dinkenish que vimos na aproximação, o que nos deu uma dica de que Dinkenish poderia ter uma lua.” de algum tipo, mas nunca suspeitamos de nada muito estranho!

Objetivos da missão e resultados inesperados

O objetivo principal de Lucy é pesquisar asteróides Júpiter-Troianos que nunca foram visitados antes. Este primeiro encontro com um pequeno asteroide no cinturão principal foi adicionado à missão apenas em 2013 Janeiro de 2023, principalmente para servir como um teste em vôo do sistema que permite à espaçonave rastrear e visualizar continuamente alvos de asteróides enquanto eles voam em alta velocidade. O excelente desempenho deste sistema em Dinkinesh permitiu à equipa capturar múltiplas vistas do sistema, permitindo-lhe compreender melhor as formas dos asteróides e fazer esta descoberta inesperada.

A missão Lucy da NASA é o primeiro reconhecimento dos asteróides troianos

A missão Lucy da NASA, lançada em 16 de outubro de 2021, é a primeira a pesquisar os Trojans, um grupo de asteróides primitivos que orbitam ao lado de Júpiter. No conceito deste artista (não analogia), a espaçonave Lucy voa perto de Eurybates, um dos seis Trojans diversos e cientificamente importantes que serão estudados. Crédito: Instituto de Pesquisa do Sudoeste

“É no mínimo intrigante”, disse Hal Levison, principal investigador de Lucy, também do Southwest Research Institute. “Nunca esperei que um sistema fosse assim. Em particular, não entendo por que os dois componentes do satélite são tão semelhantes em tamanho. Seria interessante para a comunidade científica descobrir.”

Esta segunda imagem foi tirada cerca de 6 minutos após a aproximação mais próxima, a uma distância de cerca de 1.010 milhas (1.630 km). A espaçonave viajou cerca de 960 milhas (1.500 km) entre as duas imagens divulgadas.

Continue a viagem pelo espaço

“É realmente maravilhoso que a natureza possa nos surpreender com um novo mistério”, disse Tom Statler, cientista do programa Lucy da sede da NASA em Washington. “A grande ciência nos leva a fazer perguntas que não sabíamos que precisávamos fazer.”

A equipe continua o processo de downlink e processa o restante dos dados do encontro da espaçonave. Dinkinesh e seu satélite são os dois primeiros dos 11 asteroides que Lucy planeja explorar durante sua jornada de 12 anos. Depois de raspar a borda interna do cinturão de asteróides principal, Lucy irá agora em direção à Terra para assistência gravitacional em dezembro de 2024. Este sobrevôo próximo empurrará a espaçonave de volta através do cinturão de asteróides principal, onde observará o asteróide Donald Johansson em 2025. Em seguida, para os troianos em 2027.

Missão Lucy da NASA

A investigadora principal Lucy está baseada em Boulder, Colorado, e a afiliada do Southwest Research Institute (SwRI) está baseada em San Antonio. O Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland, oferece gerenciamento abrangente de missão, engenharia de sistemas, segurança e garantia de missão. A Lockheed Martin Space em Littleton, Colorado, construiu e opera a espaçonave. Lucy é a décima terceira missão do programa de exploração da NASA. O Marshall Space Flight Center da NASA em Huntsville, Alabama, gerencia o Programa Discovery para a Diretoria de Missões Científicas na sede da NASA em Washington.

READ  Veja a nave de carga russa chegar à Estação Espacial Internacional em 1º de junho

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *