Parélia – canal auditivo

Parélia – canal auditivo

Completamente sublime Há uma proposta ousada no início de 2024 de lançar um álbum em duas partes. Após o lançamentoBrancura Em fevereiro passado, o grupo formado pelos multi-instrumentistas Marc-Antoine Barbier (Choses Sauvages), Elie Raymond (Foreign Diplomats, Frais Dispo) e recentemente adicionado por Thomas Bruno Faubert (Foreign Diplomats, Frais Dispo), foi colocado online na parte de abril. O segundo deste ambicioso projecto intitula-se Parélia.

A partir das mesmas performances improvisadas diante de um público, por exemploBrancura (Veja nossa análise deBrancura Aprender mais), Parélia Segue os passos do seu antecessor, mas ao mesmo tempo desenvolve a sua própria identidade. Se a primeira parte do projeto deixasse a luz penetrar através do véu de escuridão que se estende sobre a música Completamente sublime, Parélia Afirma-se como o lado mais obscuro do projecto, menos pop, mais ambiental e mais experimental.

Assim como seu antecessor, o álbum começa com força e um título muito rítmico Montanha Secreta e Artefato. Músicas pop abundam Brancura Aqui dá lugar a sons rítmicos rochosos que contrastam com longos tons de sintetizador. Assim, mergulhamos num mundo bastante sombrio, que lembra o período de John Hopkins imunidade.

No entanto, este início forte não dá o tom, porque Parélia Geralmente é feito para ser despojado. Isto é especialmente verdadeiro em Do primeiro ao quartoa segunda peça do álbum, onde os acordes da guitarra são quase tocados sem que o ritmo domine, ou mesmo tocando Rede Telefônica Pública Comutada (PSTN).peça que gira em torno de duas seções de saxofone sobrepostas, tocadas quase sem acompanhamento.

poder Parélia Mas reside nos momentos em que as melodias voltam fortes. A simplicidade dos arranjos e a interpretação contida de Eli Raymond permitem dar a impressão de proximidade, até de intimidade, por vezes carregada de sensualidade. Este é especialmente o caso em Alegrias em todos os lugares. O refrão é assim:

A água gira em seus opostos
Mexendo sozinho
Porque ela conta seus pares
Em seus dedos

Alegrias em todos os lugares

Como em BrancuraAssim, o tema ambiental permanece onipresente Parélia. Isto fica particularmente evidente nos textos de Dominique Rivard, autora e artista multidisciplinar, que emprestou a sua caneta ao projeto, mas não só.

READ  Prometo que o OnePlus não cometerá os mesmos erros com seu próximo relógio conectado

Entre a experimentação e a simplicidade, entre a intimidade e a sensualidade, temos a impressão de levar um pouco mais longe a contemplação já existente. Brancuraa ponto de se tornar um com a natureza. Parélia Assim, você completa de forma impressionante a jornada que iniciou Brancura.

Na verdade, a fórmula acaba sendo menos eficaz quando se transforma em kitsch, como acontece hoje Plâncton e calotas nevadas na Groenlândia e nos trópicosNo final, todo o projeto revelou ter grande força conceitual. Apresentando melodias muito bonitas e composições vocais originais, é eclético, misturando música atmosférica, experimentação vocal, melodias pop e até algumas cenas de techno mix.

You May Also Like

About the Author: Genevieve Goodman

"Criador. Fã de café. Amante da Internet. Organizador. Geek da cultura pop. Fã de TV. Orgulhoso por comer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *