Terremotos secretos foram descobertos em Montreal

Terremotos secretos foram descobertos em Montreal

Como parte de um projeto de ciência cidadã, cerca de cinquenta voluntários ajudaram a detectar pequenos terremotos no seu jardim em Montreal.

O sismólogo e professor da Universidade McGill, Yajing Liu, pediu aos habitantes de Montreal que implantassem 48 pequenos sismômetros na grande área metropolitana. Enterrados alguns centímetros no subsolo, mas através de comunicação por satélite, estes dispositivos eletrónicos registam continuamente as atividades sísmicas circundantes durante o mês de dezembro.

O cientista observa que Montreal está localizada em uma das três zonas sísmicas de Quebec (ou seja, Western Quebec, Charlevoix e Basse-Saint-Laurent). No entanto, apenas uma parada Rede Sísmica Nacional Canadense O RNSC foi instalado na ilha para detectar atividades sísmicas.

“Há muito poucos terremotos na ilha”, acrescenta Yajing Liu. Fiquei me perguntando se era porque a ilha estava “silenciosa” ou porque não havia estações suficientes para monitorá-la. »

Entusiasmo cidadão

Cerca de 80 pessoas se inscreveram para participar do projeto. Entre as muitas aplicações, “escolhemos os distribuidores para obter a melhor distribuição possível”, sublinha o investigador.

Yajing Liu, acompanhado por alunos da McGill, visitou vários quintais para enterrar sensores de terremoto. porque lá? “Em terrenos públicos ou parques, uma pessoa curiosa pode ver parte do dispositivo para fora e desenterrá-lo”, responde ela.

Entre ruídos e tremores

Registrar ondas sísmicas pode parecer simples, mas os sismômetros captam tudo, inclusive ondas perdidas. “Os caminhões, a pessoa caminhando, o vento, o rio… até captamos o som ambiente”, diz Yajing Liu.

Ela acrescenta que sempre há incerteza associada às pedreiras perto de Montreal. “Explosões de rochas podem causar ondas semelhantes a terremotos”, diz ela.

Como podemos detectar terremotos reais em meio a esse ruído? Esse é o objetivo de ter tantos sismógrafos.

READ  O Microsoft Copilot supera o Bard e o ChatGPT? 3 novos recursos que mudam tudo!

Na verdade, um terremoto se propaga pela Terra em duas ondas diferentes. A primeira, a onda primária, move-se rapidamente, sacudindo o solo horizontalmente. A segunda onda, a onda secundária, é mais lenta, tem maior amplitude e sacode o solo verticalmente. Esta diferença é observada diretamente nos sismogramas, que indicam dois picos distintos separados por alguns segundos ou minutos.

Uma vez identificado o tremor, os cientistas analisam todos os dados para monitorar se as duas ondas foram detectadas por todos os sismógrafos. Os picos serão semelhantes, mas mais distantes e atrasados ​​uns em relação aos outros à medida que os sismógrafos estiverem mais distantes do epicentro. Com a localização e hora precisas dos registros do sismógrafo, os cientistas podem monitorar sinais que indicam um potencial terremoto.

O sismólogo relata que um forte terremoto ocorrido em 3 de dezembro de 2023 também foi detectado nas Filipinas. “Está a 13 mil quilómetros de distância, mas conseguimos gravá-lo em frequências mais baixas!”, diz ela, com um sorriso nos lábios.

Faça melhor que as estações nacionais

De volta a Montreal, a equipe ainda analisa e compara seus dados Os do RNSCProcurando por terremotos que não são visíveis aos olhos das estações nacionais.

Locais dos sismógrafos distribuídos pela equipe McGill.

Yajing Liu explica que normalmente são necessárias pelo menos três estações sísmicas para identificar a origem de um terremoto e descartar ruídos estranhos. “Se o terremoto for muito fraco, apenas uma estação poderá registrá-lo e não podemos ter certeza se é um terremoto ou ruído”, diz ela.

Os primeiros dados recolhidos como parte deste projecto apoiam a ideia de que pequenos terramotos escapam aos habitantes de Montreal e à estação oficial. Mesmo que a análise continue, os cientistas estimam que encontrarão um pequeno número de sismos de magnitude inferior a 1,5 que passaram despercebidos durante o mês de dezembro. Mas ela acrescenta que são tremores muito pequenos; Os terremotos tornam-se perceptíveis aos humanos apenas com uma magnitude de cerca de 3 e num raio de cerca de trinta quilômetros.

READ  O WhatsApp no ​​iPad será possível em breve

You May Also Like

About the Author: Genevieve Goodman

"Criador. Fã de café. Amante da Internet. Organizador. Geek da cultura pop. Fã de TV. Orgulhoso por comer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *