Washington anuncia cúpula global sobre COVID-19 em 12 de maio

(Washington) A Casa Branca anunciou na segunda-feira que uma cúpula global para acabar com o surto do novo coronavírus e se preparar para futuras ameaças à saúde será realizada em 12 de maio.

Publicado às 8h23

Este encontro, que será realizado virtualmente, será copresidido pelos Estados Unidos e Alemanha, que atualmente preside o Grupo dos Sete, Indonésia, à frente do Grupo dos Vinte, e Senegal, à frente da União. África e Belize, além do Caricom (países do Caribe).

“A cúpula redobrará nossos esforços coletivos para encerrar a fase aguda do surto de COVID-19 e se preparar para futuras ameaças relacionadas à saúde”, disseram os países em comunicado conjunto emitido por Washington.

Esta será a segunda cúpula global sobre a pandemia de coronavírus, que já matou mais de seis milhões de pessoas em todo o mundo e perturbou a economia global, desde que começou a se espalhar em dezembro de 2019.

O presidente dos EUA, Joe Biden, organizou uma cúpula semelhante em 22 de setembro de 2021, onde pediu vacinas mais fortes em todo o mundo.

Hoje, embora a taxa de mortalidade do COVID-19 tenha caído drasticamente em todo o mundo, a disseminação do vírus e, particularmente, sua variante Omicron, está impedindo muitos países de suspender as restrições, começando pela China, onde milhões de pessoas ainda estão confinadas.

O governo dos EUA e os países participantes desta cúpula também querem manter um senso de urgência diante da pandemia. “Antes da Cúpula de 12 de maio, estamos convocando os líderes mundiais, membros da sociedade civil, ONGs e o setor privado a assumir novos compromissos e fornecer soluções para imunizar a população mundial, salvar vidas agora e construir melhor segurança sanitária em todos os lugares do mundo. mundo”, acrescenta este comunicado de imprensa conjunto.

READ  Marine Le Pen quer governar através de um referendo que contorna o Parlamento e o Conselho Constitucional

“O surgimento e disseminação de novas variantes, como o Omicron, reforçou a necessidade de uma estratégia para controlar o COVID-19”, acrescentou.

E embora a variante Omicron seja menos perigosa, embora mais contagiosa, os países por trás desta cúpula acreditam que é necessário fazer tudo para evitar que novos desastres sanitários surpreendam o mundo.

Eles alertam que “sabemos que devemos nos preparar agora para construir, estabilizar e financiar a capacidade global de que precisamos, não apenas diante das variáveis ​​do COVID-19, mas também diante de outras crises de saúde”.

Autoridades da Organização Mundial da Saúde disseram na quinta-feira que o COVID-19 está longe de ser uma pandemia e pode causar “grandes epidemias”.

“Ainda estamos no meio dessa pandemia e todos desejamos que não fosse, mas não somos endêmicos”, disse Maria Van Kerkhove, chefe da OMS para o COVID-19.

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *