Aqui está o que os primeiros estudos dizem sobre como o Omicron se compara ao Delta

Aqui está o que os primeiros estudos dizem sobre como o Omicron se compara ao Delta

Dois novos papéis pré-impressos aumentam as evidências de que a variante do coronavírus Omicron pode ter menos probabilidade de causar doenças graves e hospitalização do que a variante delta.

O Omicron está associado a um risco dois terços menor de hospitalização por Covid-19 em comparação com o Delta, destacou um deles estudar, lançado online na quarta-feira como um Planilha por pesquisadores da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido. Este achado era da Escócia.

de outros papel, publicado terça-feira no servidor online medrxiv.org, indica que as pessoas com infecção por omicron têm probabilidade 80% menor de hospitalização em comparação com uma infecção delta. Mas, uma vez que o paciente foi hospitalizado, não houve diferença no risco de doença grave, de acordo com essa pesquisa, da África do Sul.

Ambos os estudos incluem dados preliminares e ainda não foram publicados em um periódico com revisão por pares.

O estudo da Escócia incluiu dados de 23.840 casos omicron e 126.511 casos delta, de 1 de novembro a 19 de dezembro. Os pesquisadores – da Universidade de Edimburgo, da Universidade de Strathclyde e da Saúde Pública na Escócia – examinaram mais de perto os resultados de saúde. Entre as infecções por omicron em comparação com a infecção delta. Houve 15 hospitalizações entre aqueles com infecção por omicron e 856 hospitalizações entre deltas.

James Naismith, diretor do Rosalind Franklin Institute e professor de biologia estrutural da Universidade de Oxford, que não esteve envolvido em nenhum dos estudos, disse em um comunicado por escrito distribuído pela instituição com sede no Reino Unido. Centro de mídia científica Quarta-feira.

Os pesquisadores descobriram que a proporção de casos de Omicron com probabilidade de reinfecção em pessoas que já haviam tido Covid-19 era mais de 10 vezes maior do que o delta. Os dados também mostraram que o recebimento de uma terceira dose da vacina, ou vacina de reforço, foi associado a um risco 57% menor de desenvolver sintomas de infecção por omicron em comparação com um período de pelo menos 25 semanas após completar a segunda dose.

READ  Todos os olhos estão voltados para o clima, enquanto a Boeing planeja lançar o Starliner na terça-feira

“Esses primeiros dados nacionais indicam que Omicron está associado a uma redução de dois terços no risco de hospitalização por COVID-19 em comparação com Delta. Embora ofereça a maior proteção contra Delta, a terceira dose / reforço de vacinação fornece proteção adicional significativa contra o risco de sintomas de COVID-19 para Omicron. ‘”, escreveram os pesquisadores no artigo.

Leia a história completa dos estudos aqui.

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *