Brasil: Paulo Guedes busca crescimento perdido

Le ministre de l'économie brésilienne, Paulo Guedes, se donne un à deux ans pour réparer les dégâts occasionnés à l'économie par ses prédécesseurs.

Publicado em 15 de setembro de 2019 às 14h54

“Sem truques antigos, sem maquiagem algorítmica, sem parar e partir.”. O Brasil quer retornar ao caminho do crescimento virtuoso e sustentável através do caminho tradicional, explica Paulo Guedes, homem de confiança do presidente Jair Bolsonaro em questões econômicas. “O dinamismo do crescimento perdeu-se ao longo do tempo… mas irá regressar.”Ele confirmou isso durante uma conversa informal com um grupo de correspondentes da imprensa estrangeira no Rio de Janeiro. A culpa é dos seus antecessores (todos social-democratas há 20 anos, segundo ele). “Os sociais-democratas são muito simpáticos, mas não controlam muito bem os gastos públicos.”Isto é confirmado pelo economista liberal extremo.

Corrija o tiro

Atualmente, a saída da recessão (2015-2016) ainda não se traduziu numa recuperação forte (o crescimento deverá aproximar-se de 1% em 2019, primeiro ano da administração Bolsonaro). “O crescimento é estruturalmente baixo. O Brasil hoje é um 'país de baixo crescimento'”disse o graduado da Escola de Chicago, alternando entre português e inglês na mesma frase.

Para sair desta situação, o Ministro da Economia brasileiro já lançou diversas iniciativas, mas questiona-se “Um ano ou dois.” Reparar “Danos” Por causa das políticas de seus antecessores. O acordo entre a União Europeia e o Mercosul é considerado um resultado tangível da política de abertura da economia brasileira ao exterior. Foram adoptadas medidas de simplificação administrativa e introduzidas importantes reformas estruturais.

Demissão do Diretor da Autoridade Tributária

Após a reforma previdenciária, que foi submetida à apreciação do Senado após ser aprovada na Câmara dos Deputados, todas as atenções agora se voltaram para a reforma tributária, que pretendia simplificar o sistema muitas vezes kafkiano. “O Brasil tem hoje um sistema tributário ao consumidor muito complexo e disfuncional”, explica Bernard Abe, ex-diretor do Ministério da Fazenda especializado em questões tributárias. É o sistema mais complexo do mundo e tem um impacto extremamente negativo no crescimento do país..

Nenhum imposto sobre transações financeiras

Se houver um certo consenso sobre a criação de um imposto sobre o valor acrescentado, a perspectiva de impor um imposto sobre as transacções financeiras como parte da reforma fiscal permanece controversa. Do seu leito de hospital, o presidente Bolsonaro, que se recupera de uma quarta operação após o ataque que sofreu há um ano, ordenou a demissão do diretor-geral de impostos que era defensor deste imposto. “A criação de tal imposto e o aumento dos impostos estão excluídos da reforma tributária.”Jair Bolsonaro anunciou no Twitter. A demissão corre o risco de atrasar o bom progresso da reforma.

READ  Torneio para descobrir os melhores gestores de ativos ESG

Mas Paulo Guedes quer estar confiante. “O crescimento vai voltar. Sabíamos que o primeiro ano seria muito difícil e que o segundo ano deveria ser um pouco melhor, graças às reformas que fizemos. Deveríamos decolar no terceiro e voar para longe no quarto . Este é o nosso plano de voo ».

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *