Cinismo e complacência entre amigos e inimigos de Trump – Libertação

A invasão do Capitólio pelos partidários de Trump provocou escárnio, crítica e apoio renovado ao presidente em exercício em “democracias iliberais” entre os inimigos dos Estados Unidos, ditaduras e regimes de partidos bilionários.

Leia também:Invasão do Capitólio: Trump e o Penetrador do Caos “Selvagem”

O colapso do império americano é evidente para o Kremlin há anos, para sua grande satisfação. Fotos do Capitólio invadidas por manifestantes que não reconhecem o resultado da eleição presidencial são as últimas evidências, se houver. O Dia da Democracia acabou, Ele se declara membro do Senado. Também se foram as lições éticas que Washington ensinou durante anos sobre como Moscou administra suas próprias lições Democracia administrada. “Este é o fundo. Eu digo isso sem a menor sombra de alegria maliciosa. A América não dá mais o tom e, como resultado, perdeu todo o direito de defini-lo. E ainda mais de impô-lo aos outros.” Escrito no Facebook por Konstantin Kosachev, que preside o Comitê de Relações Internacionais do Senado. Desde a eleição de Donald Trump há quatro anos, na qual o Kremlin se envolveu em uma feroz campanha de interferência e desinformação, os russos mergulharam no caos institucional e político em que os Estados Unidos mergulharam.

Na China, “cenas como Hong Kong”

Na China Global Times, Nacionalismo cotidianoFixado no topo de seu tópico no Twitter, editando um vídeo da invasão do Capitólio dos EUA na quarta-feira e a invasão da Assembleia Legislativa de Hong Kong (Legco) em 1está sendo Julho de 2019, ao término de uma manifestação. Cenas semelhantes em Hong Kong e Washington, DC, demonstração flagrante de padrões duplos.

A mídia estatal chinesa e as autoridades estão engajadas em uma intensa campanha para provar ao mundo que ‘Modelo chinês’ Ações autoritárias são melhores do que a democracia ocidental, aproveite essa aparente semelhança.

READ  Copa América: Brasil-Peru, chocado sob o signo da Covid-19

Como acontece com qualquer tópico que serve aos interesses políticos da China, a rede de mídia social altamente censurada Weibo está lançando críticas ao caos no Capitólio, que já totalizou mais de 570 milhões de visualizações na manhã de quinta-feira.

Por sua vez, uma porta-voz Ministério das Relações Exteriores da China Hua ChunyingEla julgou as cenas “familiar” Com eventos em Hong Kong: A reação de algumas pessoas na América, incluindo alguns da mídia, é completamente diferente. Naquela época, quando descreveram manifestantes violentos em Hong Kong, que palavras eles usaram? “bela cena” “. “Resta saber se Nancy Pelosi [la présidente de la Chambre des représentants aux Etats-Unis] Ele dirá o mesmo sobre os eventos recentes no Capitol. ” Sarcasticamente Global Times.

Leia tambémA Conquista do Capitólio: a Europa Central entre o constrangimento e a condenação

Ao contrário do que muitos comentaristas chineses nos levam a acreditar, os massivos protestos populares de 2019 e os protestos pacíficos contra a repressão liderada pela força central chinesa, convocada por Nancy Pelosi, que assumiu seu cargo na quarta-feira. “boa oferta”, E as cenas de vandalismo não são esquecidas. Mesmo que as imagens da ocupação desses dois lugares simbólicos das instituições democráticas sejam semelhantes, os dois episódios são profundamente diferentes. Cidadãos de Hong Kong foram às ruas para defender suas liberdades.

A prisão de 53 funcionários eleitos, ativistas e jornalistas na quarta-feira em Hong Kong sob a acusação de “conspiração” e “sabotagem” para organizar as primárias para se opor às eleições legislativas é uma nova fase no esmagamento do partido-estado da China. O processo democrático estipulado na Constituição de Hong Kong. O desenraizamento de jovens em Legco abandonado pretendia protestar contra o controle da autoridade central sobre as instituições democráticas, enquanto o objetivo de isolar os apoiadores de Trump no Capitol era boicotar à força a transição democrática.

READ  Roxana Marasinho anunciou que os torcedores franceses que vão à Rússia para um jogo devem respeitar a quarentena no retorno.

No Brasil, “Trump é tropical” é mais reservado

No Brasil, o “Tropical Trump” nunca deixou de falar publicamente sobre os acontecimentos em Washington. Desde que assumiu o poder em 2019, o presidente Jair Bolsonaro demonstrou apoio inabalável a seu homólogo americano. Mas, ao contrário de seu hábito, Bolsonaro foi reticente na noite de quarta-feira nas redes sociais. No entanto, ele não pode deixar de confirmar seu apoio a Donald Trump.

“Eu segui tudo. Você sabe que estou perto de Trump. Você sabe minha resposta. Havia muitas evidências de fraude. Na verdade, eu disse isso há algum tempo.”E a Ele respondeu a um de seus apoiadores Que o interrogou na periferia do palácio presidencial brasileiro sobre a situação em Washington. Porém, em meados de dezembro, depois de todos os líderes do G20, ele reconheceu a vitória de Joe Biden. Diante de seus apoiadores, o presidente brasileiro aproveitou o caos americano na noite de quarta-feira para fazer um paralelo à sua eleição, que segundo ele foi marcada por uma fraude, o que de outra forma teria acontecido. “Venceu a primeira rodada”. Uma teoria que foi mencionada anteriormente durante a campanha de 2018, mas nunca foi comprovada.

A “Fragilidade” da América no Oriente Médio

“A cena do colapso civilizado do Grande Satã”, De acordo com um tweet de um apoiador do Hezbollah libanês durante o ataque ao Capitólio, é provável que desperte entusiasmo entre os antiamericanistas no Oriente Médio. A América não é uma democracia e é muito mais fraca do que você pensa. escrito Um dos trolls do Irã, mobilizado nas redes sociais. Na quinta-feira de manhã, Teerã respondeu oficialmente, por meio da voz de Hassan Rouhani, que afirmou: “Quão fraca e frágil é a democracia ocidental. E o presidente da República Islâmica alertou em sua declaração na televisão estatal ‘A ascensão do populismo’ Ao nomear apoiantes de Donald Trump.

READ  Uma vitória do Brasil e da Argentina, um empate da Costa Rica

Mas a Turquia foi um dos primeiros países a ser suspenso durante o ataque ao Capitólio na noite de quarta-feira, quando o governo pediu “moderação”. E em um comunicado em termos muito moderados publicado pela Agência Anadolu oficial, A Turquia apela a todas as partes nos Estados Unidos para que superem sua crise política interna.

You May Also Like

About the Author: Winona Wheatly

"Analista. Criador. Fanático por zumbis. Viciado em viagens ávido. Especialista em cultura pop. Fã de álcool."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *