COVID-19 no Brasil: a variante Delta circula em São Paulo

A variante Delta “já está circulando” no estado de São Paulo, o mais populoso do Brasil, anunciaram as autoridades sanitárias locais nesta quarta-feira, confirmando a disseminação da cepa detectada inicialmente na Índia, no segundo país mais enlutado pelo COVID-19.

• Leia também: Milhares de brasileiros protestam contra o Bolsonaro

• Leia também: COVID-19: registro diário de mortes na Rússia pelo quinto dia consecutivo

• Leia também: Gestão da pandemia no Brasil: investigação das acusações de “prevaricação” contra Jair Bolsonaro

“A variante já é indígena, ou seja, circula entre nós, entre pessoas que não viajaram ou não tiveram contato com outras que estiveram na Índia. É por isso que cuidados especiais devem ser tomados ”, disse o secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, em entrevista coletiva.

Até o momento, o Brasil teve apenas cerca de quinze casos isolados de pessoas infectadas com a variante Delta que retornaram da Índia ou tiveram contato com pessoas que permaneceram no país.

Os primeiros casos surgiram no estado do Maranhão (nordeste), em seis tripulantes que chegaram a bordo de um cargueiro com bandeira de Hong Kong.

Mas a prefeitura de São Paulo informou nesta segunda-feira um primeiro caso suspeito de transmissão local, em um homem de 45 anos que não viajou recentemente para fora do país. Outros dois casos suspeitos foram identificados nesta terça-feira no estado do Rio de Janeiro.

Diante do risco de aumento da contaminação, o Estado de São Paulo cogita reduzir o intervalo entre as duas doses das vacinas Pfizer-BioNTec e AstraZeneca, atualmente fixado em 3 meses.

Na quarta-feira, a OMS anunciou que o mundo havia ultrapassado o “trágico” limiar de quatro milhões de mortes por Covid-19, enquanto a pandemia recomeçava em intensidade sob o impulso da variante Delta, muito contagiosa e presente em uma centena de países.

READ  Jogos Olímpicos. Viver. Os jogadores de handebol jogam sua sobrevivência contra o Brasil

O Brasil experimentou uma segunda onda particularmente devastadora de janeiro a abril, em particular devido à circulação desenfreada da variante Gama, que apareceu na região de Manaus (norte).

O país tem mais de 526.000 mortos por COVID-19, mas a mortalidade média diária começou a cair nas últimas semanas, de 2.000 em meados de junho para menos de 1.600 na semana passada.

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *