em direção ao calor mortal neste verão no Brasil devido ao fenômeno El Niño? Quais consequências?

em direção ao calor mortal neste verão no Brasil devido ao fenômeno El Niño?  Quais consequências?
O verão brasileiro poderá ser mais quente que o normal devido à intensificação do El Niño.
Paula Bueno Paula Bueno Brasil meteorado 6 minutos

O ano de 2023 será um dos anos mais quentes do mundo, e isso também se aplica ao Brasil. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), do início de 2023 até agora, o país já registrou 8 eventos de ondas de calor e ainda há possibilidade de novas ocorrências este ano!

A última onda de calor deste mês foi uma das mais intensas e sufocantes. Vários recordes foram quebrados, como o da temperatura mais alta já registrada no Brasil, que foi de 44,8°C na cidade de Araçuaí, Minas Gerais, no último dia 19 de novembro. Essa temperatura supera o antigo recorde de 44,7°C registrado em 21 de novembro de 2005 na cidade de Bom Jesus, no Piauí. Além das temperaturas, também tivemos valores absurdos de temperatura sentida, chegando a quase 60 anos na cidade do Rio de Janeiro.

O surgimento da fase positiva do fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS), conhecido como El Niño, em meados deste ano, contribuiu para o aparecimento e intensificação das ondas de calor no Brasil, e este fenómeno foi reforçado pela fase positiva do Dipolo do Oceano Índico (DOI). Contudo, é crucial notar que algumas destas ondas de calor ocorreram antes do desenvolvimento do El Niño e da fase positiva do DOI, no primeiro semestre de 2023. Portanto, Esses eventos não são os únicos fatores responsáveis ​​pelo calor extremo.

READ  Paola Carosella anuncia saída da Band e 'MasterChef Brasil' - Emais

Atualmente, El Niño continua a se intensificar ainda mais, atingindo anomalias de temperatura da superfície do mar (TSM) próximas de 2°C, o que já o classifica como categoria forte El Niño. Com o El Niño nesta intensidade, esperamos para que os seus efeitos se intensifiquem nos próximos meses, ou seja, durante o verão!

Brasil deverá registrar novas ondas de calor no verão

Embora o calor já tenha sido sentido nos últimos meses, o verão ainda não começou no Brasil. A temporada, que meteorologicamente começa no início de dezembro, quando geralmente já faz calor no país, promete ainda mais calor à medida que o El Niño atinge o seu pico de intensidade.

A combinação de um forte El Niño e a continuação da fase positiva do Dipolo do Oceano Índico, aumenta a probabilidade de uma nova onda de calor ocorrer no Brasil em dezembro!

As previsões indicam que o El Niño está a atingir o seu pico de intensidade, que será de 2°C de acordo com a média dos modelos dinâmicos analisados ​​pelo Instituto Internacional de Pesquisa para o Clima e a Sociedade (IRI), e permanecerá nesta forte intensidade durante os meses de verão e início do outono de 2024, perdendo intensidade a partir de março e abril do próximo ano. Alguns modelos também indicam a probabilidade de um Super El Niño, com anomalias de TSM superiores a 2°C.

Pluma de previsões de modelos dinâmicos e estatísticos sobre a intensidade e duração do El Niño-Oscilação Sul (ENOS).  Fonte: IRI.
Pluma de previsões de modelos dinâmicos e estatísticos sobre a intensidade e duração do El Niño-Oscilação Sul (ENOS). Fonte: IRI.

Diante dessas previsões, esperamos que os impactos do El Niño sejam ainda mais intensos durante o verão, e um desses impactos será a intensificação do calor no Brasil! As previsões climáticas do ECMWF indicam uma tendência de temperaturas acima da média em todo o Brasil durante os meses de verão (dezembro de 2023, janeiro e fevereiro de 2024) e início do outono de 2024 (março de 2024), principalmente na região centro-norte do país.

READ  Avaliação da pandemia | Mais de 4,4 milhões de mortes em todo o mundo
Previsão de anomalia de temperatura para os meses de dezembro de 2023 a março de 2024 pelo modelo ECMWF.
Previsão de anomalia de temperatura para os meses de dezembro de 2023 a março de 2024 pelo modelo ECMWF.

No entanto, é em dezembro de 2023 que a probabilidade de uma nova onda de calor será maior, já que o modelo indica as maiores anomalias de temperatura para este mês, que podem ficar entre 1,5º e 3ºC na região centro-leste do país. Este calor intensificado em dezembro pode estar associado ao pico de intensidade máxima do El Niño e também à continuação da fase positiva do Dipolo do Oceano Índico, que atingiu o seu pico de intensidade máxima entre Outubro e Novembro, mas deverá manter-se intensa em Dezembro.

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *