Madeira ilegal do Brasil em Ardentes: o caso analisado em recurso

Madeira ilegal do Brasil em Ardentes: o caso analisado em recurso

Em 6 de setembro de 2023, o tribunal criminal de Châteauroux condenou a empresa Robert, de Ardentes, a uma multa de 20.000€ (incluindo 10.000€ suspensos) por ter importado 22 m do Brasil3 de madeira processada de ipê, de origem ilegal. A empresa apelou desta condenação. O caso foi, portanto, examinado pelo Tribunal de Apelação de Bourges na quinta-feira, 11 de abril de 2024.

Seu gerente, Bertrand Robert, garantiu que sua empresa tem “cumpre as suas obrigações legais”. Saber : “Implementamos exaustivamente o sistema de due diligence. A cadeia de custódia foi verificada de A a Z.”

Parte civil neste caso, a associação Greenpeace França considerou que a empresa Robert tinha, pelo contrário, falhado no processo de due diligence. “Seu líder diz que se baseou em documentos oficiais. Esse é o problema. Em um estado como o Pará, onde podem ser falsificados, é preciso ir verificar no local se as normas são respeitadas. “, argumentou a advogada da ONG, Marie Dosé, que defendeu a manutenção da condenação acrescentando “a publicação da condenação no site “Trade du bois” porque se destina a profissionais. É necessário que haja algo dissuasor para que estas práticas parem e para que apliquem os regulamentos. »

O Ministério Público também solicitou nas suas alegações que a primeira decisão fosse mantida. Considerando que a empresa Robert não aplicou a filosofia do sistema de due diligence. “O crime imputado não é o de ter importado madeira de origem ilegal, mas sim o de não ter respondido às medidas preventivas e realizado controlos suficientes. »

Voltaremos ao argumento da defesa numa edição futura.

READ  atualização de pandemia global

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *