Táxis drones elétricos por volta de 2026, fabricados pela Embraer perto de São Paulo – Fórum Brasil

Táxis drones elétricos por volta de 2026, fabricados pela Embraer perto de São Paulo – Fórum Brasil

Rumo a um novo turismo?
A fabricante brasileira de aviões Embraer anunciou a construção de uma nova fábrica perto de São Paulo para produzir táxis voadores elétricos que espera decolar a partir de 2026.
O aparelho, que será fabricado pela subsidiária Eve, se assemelhará a um pequeno helicóptero e terá capacidade para acomodar até seis clientes.
A viagem deverá custar entre US$ 50 e US$ 100 (£ 39 a £ 78) por pessoa.
Eve afirma já ter recebido encomendas de quase 3 mil táxis aéreos.
Ela espera montar um protótipo este ano. Os reguladores dos EUA publicaram recentemente um calendário prevendo que os táxis aéreos estarão operacionais no país já em 2025.
Esses dispositivos elétricos de decolagem e pouso vertical não precisarão de pista de pouso e serão capazes de percorrer longas distâncias como um avião. Espera-se que os motores elétricos reduzam o ruído e a poluição em comparação com as aeronaves convencionais.
Argumentou-se que estes aviões poderiam ajudar a aliviar os engarrafamentos em cidades populosas, sem serem demasiado caros para os clientes. Também são considerados uma alternativa para o transporte de mercadorias.
A fábrica será construída na cidade de Taubaté, a aproximadamente 140 km de São Paulo, capital econômica do Brasil.
Os veículos de passageiros semelhantes a drones serão usados ​​primeiro em frotas de táxi, informou a agência de notícias AFP.
Os primeiros voos serão realizados por um piloto, mas posteriormente a implantação de veículos autopilotados também está prevista pela empresa.
Os veículos serão 100% elétricos, permitindo voos livres de emissões.
Com minha saudação tropical,
@ivanbahiaguide

READ  Rodrygo já treinou, o brasileiro jogará contra o Cádiz!

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *