Vanuatu quer levar a crise climática ao Tribunal Internacional de Justiça

(Sydney) O arquipélago de Vanuatu anunciou na sexta-feira que pretende fazer campanha por uma abordagem comum perante a Corte Internacional de Justiça para buscar aconselhamento jurídico da mais alta corte das Nações Unidas sobre as consequências do aquecimento global.


A pequena nação do Pacífico espera que, embora a opinião jurídica da Corte Internacional de Justiça não seja vinculativa, ela contribuirá para o surgimento de legislação internacional para as próximas gerações sobre as consequências físicas e humanas do aquecimento global, indicou seu governo.

O porta-voz do governo Yvonne Basil disse à AFP que nenhum país pode buscar aconselhamento jurídico do Tribunal Internacional de Justiça em Haia, e Vanuatu irá mobilizar outros países para votarem a favor desta iniciativa na próxima Assembleia Geral da ONU em setembro de 2022.

O arquipélago de 300 mil habitantes, atingido por dois ciclones de categoria 5 nos últimos cinco anos e ameaçado pela elevação do nível do mar, disse que coordenará seus esforços com outras nações insulares do Pacífico e com países com preocupações climáticas semelhantes.

“Bolas de devastação causadas por eventos climáticos não são mais excepcionais, pelo contrário, estão rapidamente se tornando a norma para todas as nações insulares, como em outros países e regiões”, disse o governo em um comunicado.

READ  COVID-19: Vacinação obrigatória para todos os profissionais de saúde na França

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *